Futebol Internacional

30 anos do ‘milagre’ do Cádiz, que goleou o Barcelona e evitou a queda na La Liga de 1990/1991

Foto: divulgação La Liga

Quem olha o Cádiz atualmente jamais imaginaria que a equipe goleou algum dia o Barcelona. O clube andaluz evitou o rebaixamento nos últimos 10 minutos da temporada 1990/1991 da LaLiga Santander, depois de passar quase toda a campanha na zona perigosa. No último mês da temporada, eles derrotaram Sevilla FC, Real Zaragoza e golearam o time culé por 4-0, garantindo a sobrevivência mais improvável

Ao longo dos 100 anos de história do Cádiz CF, houve muitos momentos inesquecíveis para os seus torcedores e para os amantes da LaLiga – e do futebol espanhol em geral. Na temporada 2020/2021, o clube garantiu a sobrevivência na primeira divisão do país por uma margem significativa – algo que não aconteceu há quase exatos 30 anos.

O dia 9 de junho marcou o 30º aniversário do ‘milagre’ do Cádiz CF, quando o clube conseguiu evitar o rebaixamento nos últimos 10 minutos da campanha depois de passar quase toda a temporada – a partir do início de novembro – na zona de rebaixamento. Logicamente, 1990/1991 ainda é lembrada com carinho pelos cadistas que a viveram.

O clube era um time regular de primeira linha durante a década de 1980. Foi quando nasceu a lenda do Submarino Amarelo, com Cádiz CF realizando vários feitos notáveis. Em 1991, atingiu outro nível, com uma recuperação francamente inimaginável na batalha contra o rebaixamento. E esta é a história daquela temporada milagrosa

Uma mudança no elenco e a saída de uma lenda

A temporada começou com dificuldades para o clube que era presidido pelo carismático D. Manuel de Irigoyen. Héctor ‘Bambino’ Veira assumiu como o novo treinador do clube, mas o estrategista argentino não teve muito sucesso, já que a equipe venceu apenas duas vezes na primeira metade da temporada. Em busca de reação, o Cádiz fez uma mudança no banco de reservas, com Ramón Blanco a ser convocado para a reta final da campanha. Ele conhecia bem o clube desde os tempos de jogador e no início da carreira de técnico.

As lutas do Cádiz CF naquele ano também podem estar relacionadas com o fato de a magia ter partido, com a passagem mais que especial de Jorge ‘Mágico’ González chegando ao fim. É impossível para os torcedores da equipe esquecerem os gols, dribles e habilidade do mágico salvadorenho, cujo carisma também o tornou uma lenda fora de campo. Mesmo assim, essa história terminou na campanha de 1990/1991, quando ele disputou apenas cinco partidas no total, vestindo pela última vez a famosa camisa amarela na oitava rodada daquela edição. No mercado de inverno, o seu lugar foi ocupado por Óscar Dertycia, que ajudou com oito gols.

O surgimento de ‘Quico’ Narváez durante o final dramático da temporada

Kiko Narváez pode agora ser conhecido em todo o mundo depois de uma carreira de sucesso que o viu estrelar pelo Atlético de Madrid e pela seleção espanhola nos anos 1990, mas em 1990/1991 ele tinha apenas 18 anos e era conhecido como “Quico”. Ramón Blanco tinha treinado a equipe do Cádiz CF B, antes de assumir o time principal, o que significava que conhecia muito bem o jovem – o promovendo à titular na procura de soluções.

Nas últimas semanas da temporada, os amarelos melhoraram significativamente. Após alguns empates logo após a chegada de Ramón Blanco, a equipe derrotou o todo-poderoso ‘ Dream Team’ do FC Barcelona, de Johan Cruyff , por 4-0 em casa , quando os Blaugranas visitaram o estádio Ramón de Carranza com a chance de se tornarem campeões da liga com um vitória. Eles até levantaram o título da LaLiga, mas não naquela noite.

Para saber mais sobre o Futebol Internacional, siga o Esporte News Mundo no InstagramTwitterFacebook e no Youtube.

Foi em casa que o milagre do Cádiz CF aconteceu, ao derrotar o Sevilla FC por 2-1 perante os seus torcedores e depois, na última rodada, no grande dia 9 de junho de 1991, dando o passo seguinte na sua grande fuga. A caminho da fase final, o time foi 19º e penúltimo, nas posições diretas de despromoção e pronto para o rebaixamento rumo à LaLiga SmartBank.

O Real Zaragoza foi o visitante do Ramón de Carranza e eles também lutaram pela sobrevivência, buscando um resultado para evitar o rebaixamento das vagas dos playoffs de 17º e 18º. Um gol de Higuera colocou o clube de Zaragoza na frente e os visitantes ainda lideravam por 1-0 nos últimos 10 minutos. Para as etapas finais, Ramón Blanco substituiu Quico Narváez, que mudou a partida. Ele sofreu um pênalti que Dertycia converteu e então, poucos momentos depois, ele marcou o gol milagroso que mudou o placar .

A vitória tardia do Cádiz CF por 2-1 fez com que terminassem em 18º na classificação, evitando o rebaixamento direto e colocando-os nas eliminatórias pela permanência na elite nacional. Estando preso nas posições do descenso direto por tanto tempo, o retorno da última rodada foi celebrado como um título… mesmo que mais drama ainda estivesse por vir.

+Grandes histórias da La Liga: como o gandula se tornou o herói para a salvação do Elche CF na última temporada

Outro retorno e êxtase nos playoffs

O Cádiz CF evitou o rebaixamento direto, mas teve outra batalha obrigatória nos playoffs, onde enfrentou o vizinho Málaga CF por uma vaga na primeira divisão da Espanha em 1991/1992. Foi um duelo de duas partidas, e foi o rival quem venceu a primeira por 1-0, no seu estádio.

Como havia acontecido durante toda a temporada, o Cádiz CF ainda tinha muito a fazer. A segunda partida foi uma final de sobrevivência e os amarelos entraram para o jogo em baixa no placar. No Ramón de Carranza, a base de fãs empurrou os jogadores para a frente e ajudou a equipe a garantir a merecida vitória por 1-0 graças a um gol do herói da cidade, José González, que agora treina o Dalian Professional na China e que também treinou o próprio Málaga CF durante sua carreira. Seu gol resultou em um empate agregado que levou o empate aos pênaltis .

Todos os cadistas tinham o coração na boca. O destino de sua equipe seria decidido na hora e os nervos estavam em alta, pois ambos os lados detinham a vantagem em pontos diferentes. Isso foi até que Juan José marcou pelo Cádiz CF em sua última partida, antes de ‘Pepe’ Szendrei salvar o pênalti do Málaga CF para manter o Cádiz CF no nível da LaLiga Santander e escrever um dos capítulos mais extraordinários da história do clube e da LaLiga Santander.

Este foi realmente um dos momentos mais incríveis desde o nascimento da liga em 1929.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top