Guarani

Aal elogia versatilidade do Guarani: ‘Consegue variar dois modos de jogar’

Aal elogia versatilidade do Guarani: 'Consegue variar dois modos de jogar'
Crédito: Thomaz Marostegan / Guarani FC

Allan Aal enalteceu a versatilidade tática apresentada pelo Guarani no decorrer da primeira fase do Campeonato Paulista.

Após vitória em cima do Novorizontino, no Brinco de Ouro da Princesa, treinador explicou sobre as duas formas de jogo executadas pelo Bugre na temporada.

+ Aal nega afirmação pelo Guarani no Dérbi 199: ‘Não acontece em um jogo’

“Eu acho que a gente consegue variar as duas maneiras de jogar, né? Teve jogos que nós tivemos ali o controle total do jogo e hoje eu acredito que foi um desses. No final, nos 15 minutos finais, diminuímos a intensidade, mas nós temos jogadores de velocidade, mas, ao mesmo tempo, jogadores com uma qualidade técnica muito boa. Nós conseguimos manter esse controle, essa objetividade da posse da bola e não ter a posse pela posse. Se você for levantar os dados, a nossa posse é muito ofensiva, quase sempre no campo do adversário”, analisou.

“Pela característica individual desses atletas, ao natural os espaços vão aparecendo, o adversário acaba não aguentando esse tipo de movimentação sem bola e cria espaço e cria situações. Eu vejo que a nossa maneira de jogar, como eu sempre falei, tem que ser a maneira do torcedor. Não é a minha, não é de A, B ou C, mas sim uma equipe que se entrega, uma equipe que procura a vitória o tempo todo, que sabe controlar o jogo em alguns momentos, quando é necessário, e que sempre vai buscar a vitória independente de jogar em casa ou fora e independente do adversário”, acrescentou.

OUTRO PATAMAR?

Antes contestado pela torcida, Allan Aal, por conta de três vitórias nas quatro últimas rodadas, minimizou a pressão no Guarani e valorizou a experiência adquirida em mais de duas décadas no futebol.

“A gente já tem experiência suficiente para saber que as coisas não acontecem, no futebol, do dia para noite, né? Faz 26 anos que eu estou dentro do futebol profissional como atleta e como comissão técnica. Então aprendi que, em momentos de turbulência, a responsabilidade e a cobrança maior é em cima do treinador. Nós temos que saber administrar, respeitar e, ao mesmo tempo, continuar trabalhando. Eu acho que a confiança no trabalho ela não é só depois do jogo que você vence, mas sim no dia a dia. Essa confiança vem sendo demonstrada por todos aqui no Guarani, por todos atletas, por todos os funcionários e por todos aqueles que estão envolvidos no processo”, afirmou.

“A gente sabe que a rede social, não só em questão do futebol hoje em dia, é uma coisa muito polarizada, né? É um momento que o país passa. Não é só questão do futebol. A gente vê aí qualquer tipo de discussão e qualquer tipo de cobrança, vamos dizer assim, em alguns momentos se tornando algo fora ou surreal. É fora da realidade e surreal. Nós temos que saber respeitar. Eu procuro sempre tirar pelo lado positivo as críticas. Fazem parte do nosso trabalho. Eu acho que o trabalho de todos, no meio do futebol, imprensa, profissionais e até mesmo para o torcedor, ele vai mudando. Ele já percebe, hoje em dia, que mudança de comando e que mudança de troca de treinador surtem muito pouco resultado”, fechou.

TABELA

Embalado, Bugre ocupa a vice-liderança do Grupo D com 14 pontos, quatro de vantagem em relação ao Santos, terceiro colocado, e a uma vitória de carimbar passaporte no mata-mata.

O Guarani volta a campo pelo Campeonato Paulista nesta quarta-feira, diante da rival Ponte Preta, no Dérbi 199, no Estádio Moisés Lucarelli, às 21h.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top