Palmeiras

Abel Ferreira afirma que fez a escolha certa e diz “vocês estão malucos” para os críticos da escalação

(FOTO:DIVULGAÇÃO/PALMEIRAS/CESAR GRECO)

Palmeiras e São Paulo se enfrentaram na noite desta quarta-feira (17), no Allianz Parque, em partida válida pela 32ª rodada do Brasileirão. Jogo terminou em 2 a 0 e marcou uma das piores partidas do clube alviverde do segundo turno do campeonato.

Abel Ferreira foi muito criticado pelo time que escolheu para entrar em campo. Comissão técnica optou por um time reserva, com apenas um titular, Marcos Rocha na lateral direita.

– Me pagam para tomar decisões. Sei a quanto tempo estou aqui, o que nos trouxe aqui e o elenco que tenho. Temos um plano e vamos segui-lo até o fim, aconteça o que acontecer, afirmou Abel.

– Tem que acreditar naquilo que estamos fazendo. Há um ano atrás ninguém acreditava nessa equipe e ganhamos dois títulos, 21 anos depois, completou.

Em relação a performance da equipe, Abel Ferreira concordou que a equipe não jogou bem e citou novamente o plano que tem para o futuro do clube.

– Temos o calendário que temos e eu não faço milagres. Da forma que o calendário está organizado eu não faço milagres. Volto a falar, temos um plano e vamos continuar a seguir, aconteça o que acontecer, afirmou.

– A nossa performance não foi a melhor e parabéns ao nosso adversário. Estou pendurado e hoje sai do jogo para não levar amarelo (…). Não gostei nada do jogo, continuou.

SIGA O ESPORTE NEWS MUNDO NO TWITTERINSTAGRAM E FACEBOOK. E NÃO SE ESQUEÇA DE SE INSCREVER NO NOSSO CANAL NO YOUTUBE!

– Nós temos um elenco formado por 21 jogadores e quando estamos todos disponíveis, somos uma equipe forte e competitiva. Hoje tivemos que tomar decisões de risco e eu estou aqui para assumir os riscos e a responsabilidade;

– Me pagam para tomar decisões e decisões difíceis. Fácil é chegar aqui e jogar contra o nosso rival, o São Paulo, com o melhor elenco, vocês estão malucos. Eu sei o que estou fazendo e vou seguir o plano até o final, finalizou Abel Ferreira.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top