Copa do Brasil

Abel vê Palmeiras consistente e diz que vitória foi justa: “Criamos mais”

Abel Ferreira na coletiva após a vitória contra o Grêmio pela primeira final da Copa do Brasil (Foto: Reprodução/TV PALMEIRAS/FAM)

Em entrevista coletiva após a vitória do Palmeiras por 1×0 na primeira final da Copa do Brasil, contra o Grêmio, Abel Ferreira disse que viu um Palmeiras mais consistente do que o Grêmio no conjunto do jogo, e que a vitória que dá a vantagem para o Verdão para o jogo da volta foi merecida. 

– Acho que a equipe mostrou bons comportamentos, fomos consistentes. Criamos mais oportunidades no conjunto do jogo, e fomos justos vencedores hoje.

Ele falou também sobre o início da partida, com susto e chance do Palmeiras:

– Na minha opinião, entramos muito bem no jogo. Primeiro lance do jogo criamos logo muito perigo. Mas o Grêmio dividiu o jogo, procurou atacar com sua qualidade que tem – disse o treinador.

Abel disse que a vantagem não significa o fim do confronto, que para ele, segue aberto, e é necessário que o Palmeiras esteja “alerta”:

– Foram duas grandes equipes que se enfrentaram aqui. Sabemos que este jogo segue em dois jogos, portanto estamos na primeira parte do jogo. Neste momento estamos em vantagem, mas temos que continuar em alerta, nada nos garante nada. Temos que continuar focados em nossas tarefas coletivas dentro do jogo.

Ele falou também das chances perdidas por Rony e Luiz Adriano:

– Nós fizemos um jogo muito consistente. Estou em crer que as melhores oportunidades foram as nossas. Mesmo depois de ter feito o gol, tivemos uma de Luiz Adriano, que não estava impedido, e depois tivemos uma de Rony. Faltou mais calma. Precisamos ter gelo, calma, para empurrar a bola para dentro da baliza.

Sobre a expulsão, Abel Ferreira deixou poucas palavras:

– Infelizmente só conseguimos fazer um gol. Depois da expulsão, o Grêmio tomou conta da bola. Eu tinha dito no último que nossa equipe era uma das melhores defesas.

Ele disse também que achou que o lance foi uma situação normal de jogo, e que a razão da falta era a altura de Diego Souza, para o braço de Luan atingi-lo no rosto. Vale lembrar que Diego Souza tem 1,86 cm.

– São situações que acontecem no jogo. Já tive a oportunidade de falar com Luan. Sei que os jogadores nessas circunstâncias querem proteger a bola. Já sei que vão dizer que foi imprudente. Infelizmente o adversário é baixo, essa é a grande verdade. Mas conseguimos compensar com um a menos.

 Porque eu olho para a defesa como os pilares de uma casa. Para podermos assentar nosso jogo coletivo e nosso jogo ofensivo, precisamos estar equilibrados, precisamos saber defender. Atacamos defendendo e atacamos defendendo – disse o treinador

Acho que a equipe mostrou bons comportamentos, fomos consistentes. Criamos mais oportunidades no conjunto do jogo, e fomos justos vencedores hoje.

O português também lembrou a situação difícil na qual a equipe chega ao fim da temporada 2020, tendo feito mais de 70 jogos, e com problemas de lesão e casos de Covid.

– As pessoas pensam que é fácil chegar a esta discussão das finais. É muito difícil. Nós temos que nos lembrar do surto de COvid, da grande lesão do Felipe Melo, o Ramires, por decisão, deixar o grupo, e termos que revezar, e Zé Rafael foi um dos mais massacrados. – disse Abel.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top