Lutas

Amanda Ribas revela ‘obsessão’ por cinturão antes de duelo pelo UFC

Divulgação/Twitter Oficial UFC

Oportunidades estão aí e tem de ser aproveitadas. É neste lema que Amanda Ribas chega para o confronto deste sábado (14) contra Katlyn Chookagian em mais um evento do UFC, querendo manter vivo o sonho do cinturão

A peso-palha brasileira se viu sem adversárias de peso para lutar em sua categoria origina (duelaria contra Michelle Waterson mas esta se lesionou) e decidiu aceitar subir o peso-mosca e encarar Chookagian, que chegou a desafiar Valentina Shevchenko pelo título da divisão. Uma oportunidade que a brasileira quer aproveitar para poder ter a chance do ‘title shot’ mesmo numa categoria diferente à qual Amanda está acostumada.

LEIA TAMBÉM

+ Nate Diaz tira foto ‘bizarra’ e provoca UFC: ‘Eles não vão me demitir’

– A vida é muito doida. Eu estava na outra categoria e ranqueada. A cada passo que eu dava era uma emoção e agora estou lutando com uma pessoa da categoria acima e bem mais ranqueada. Estou mais perto de disputar o cinturão na categoria de cima do que na minha. Algo que eu esperava mais para frente e está me deixando muito motivada – disse a brasileira ao Combate.

– Eu estou há sete meses sem lutar e todo mundo da minha categoria vai lutar ou já lutou e não quer lutar de novo. Aí meu empresário, meu pai e todo mundo foi falar com o UFC para que eu pudesse lutar na categoria de cima. Me ofereceram a Katlyn e é uma oportunidade que estou agarrando. Com meus braços e minhas pernas. Com tudo o que posso, porque é gigante – completou.

Uma potencial vitória sobre a ex-desafiante ao cinturão dos moscas poderá abrir para Amanda Ribas a chance de poder lutar por um título que as circunstâncias na categoria dos palhas ainda não lhe deram oportunidade de tentar. Se revelando ‘obcecada’ por ser campeã no UFC, Amanda já vislumbra o que triunfar contra Chookagian pode lhe render.

– Quando a gente fala que é uma coisa linda, porque é uma oportunidade para mim e estou amando. Muitas pessoas podem até ver isso como uma pressão a mais, mas para mim, é um incentivo a mais. É um impulso para que poder fazer o que faço no octógono. Eu penso a todo minuto no cinturão e acho que isso é o que torna essa oportunidade tão grande. Estou tão feliz do UFC ter me oferecido isso, porque se eles me ofereceram, é porque acreditam em mim. Eu acredito em mim e essa é a minha principal chave – comentou.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top