Grêmio

Análise: os erros e vícios do Grêmio que renderam mais uma derrota

Foto: Lucas Uebel/Grêmio

O Grêmio perdeu de virada para a LDU por 2 a 1 e foi eliminado da Copa Sul-Americana. A derrota dentro da Arena do Grêmio trouxe mais uma queda em uma competição internacional nesta temporada, depois de ser derrotado pelo Independiente del Valle na terceira fase eliminatória da Copa Libertadores. Embora tenha quase quatro meses de diferança os dois confrontos, há paralelos que ainda podem ser observados como erros do tricolor.

O principal vício do Grêmio nesta temporada é a falta de competitividade. O tricolor está com o fator anímico muito abaixo com a sequência de maus resultados e pela incômoda situação no Campeonato Brasileiro. Já havia sinais de desgaste no estilo de jogo desde janeiro de 2021, mas após o breve período de melhora nos primeiros jogos de Tiago Nunes, o time voltou a um marasmo que não é de hoje que muitos torcedores enxergam.

A defesa do Grêmio continua desprotegida e sofre com erros individuais – Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Para saber tudo sobre o Grêmio, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Instagram e Facebook.

Com a chegada de Felipão e a ruptura do modelo de jogo pautado em ser propositivo e ter a posse de bola, o Grêmio tende a ser um time reativo, com uma defesa forte e aposta em ligação direta e contra-ataques. O problema que os erros defensivos, lapsos de posicionamento e falta de segurança para a dupla Geromel e Kannemann continuam lá. Bruno Cortez teve mais uma vez muito abaixo, sendo que o primeiro gol nasce de uma troca de passes no setor do lateral, o qual errou na marcação. A parte ofensiva do atleta não precisa ser debatida neste texto, já que jogador tem contribuição zero há muito tempo neste quesito.

Os números do Grêmio no confronto

Os números das duas partidas refletem a mudança de estilo do Grêmio. A LDU foi superior em ambos os jogos e teve mais posse de bola com média de 66%. o dobro de finalizações (26) e muita mais vontade de vencer os jogos. O tricolor dependeu de bolas alçadas na área e teve um grave problema de criação de jogo, fora os problemas defensivos e de proteção. Em temporadas passadas o time ainda tinha lampejos de jogadores decisivos como Everton, porém nem as boas peças individuais que o clube possui conseguem se sobressair com tamanha desorganização.

Felipão tem muito trabalho pela frente com o Grêmio. Recuperar o fator anímico, diagnosticar se há problemas internos e, prioritariamente, ajustar o sistema defensivo. O tricolor não pode pensar no momento nas recentes glórias ou no futebol vistoso, mas procurar sair desta crise que assola o clube e brigar pela verdadeira conquista que tem que almejar na temporada, que é a permanência na primeira divisão do Brasilerão.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top