Futebol Internacional

Ancelotti fala sobre a virada do Real Madrid na Champions League

Photo by PIERRE-PHILIPPE MARCOU/AFP via Getty Images

Camisa pesada! Nesta quinta-feira (05), o técnico Carlo Ancelotti deu explicações após a vitória do Real Madrid contra o Manchester City por 3 a 1, no jogo de volta da semifinal da Champions League.

O treinador merengue analisou uma reação épica no jogo e destacou a atmosfera criada no Santiago Bernabéu, não só nesta partida, mas em toda partida do mata-mata da Champions.

“Aconteceu algo raro nesta Champions. Jogamos contra equipes muito fortes, contra todos os times fortes. O mérito passa pelos jogadores e por uma torcida que empurra, empurra, empurra… O peso da camisa e o orgulho do clube também jogam.” disse Ancelotti.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook

Ancelotti também reconheceu que o time teve um pouco de sorte na virada contra o City.

“Quando todo mundo pensava que o jogo estava acabado, foi suficiente uma boa combinação. Colocamos toda a nossa energia. Para ganhar faz falta um pouco de sorte. Foi um rival muito difícil, mas o time nunca baixou os braços. Tivemos tudo: sacrifício, sorte e energia.” disse o comandante.

+Leia mais sobre futebol internacional clicando aqui

O Real Madrid vem vivendo uma semana mágica. No último domingo, foram campeões do Campeonato Espanhol por antecipação, o 35º título. E agora, vai em busca da 14ª taça da Liga dos Campeões. A final acontece no dia 28 de maio, contra o Liverpool, no Estádio Saint-Denis, em Paris.

Carlo Ancelotti foi perguntado sobre o adversário na final, os Reds, e sobre o jogo contra o Citizens:

Coisas que não se explica

“Tenho que agradecer aos jogadores, porque dão tudo. E aí acontecem muitas coisas, como Rodrygo que entra e mete dois gols, ou Vallejo, que entra nos últimos cinco minutos e ganha todos os duelos aéreos.”

Vitória na prorrogação

“Na prorrogação o mais importante era a cabeça, a psicologia. Sabia que tínhamos energia e que o City podia não estar tão bem depois de perder a vantagem. A cabeça era o mais importante.”

Reencontro com o Liverpool

“A sensação que eu tenho é que estou muito feliz por chegar à final. Outra vez contra o Liverpool, são três finais como treinador contra eles. Vivi dois anos no Liverpool (como técnico do Everton) e é um clássico para mim.”

Final contra Klopp

“Conheço bem o Jürgen. Tenho máximo respeito por ele e por sua comissão técnica. Vai ser uma final fantástica, muito equilibrada.”

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top