Campeonato Paulista

Antes de jogo contra o Corinthians, Bragantino teve 26 erros em teste de Covid-19

Foto: Ari Ferreira/Red Bull Bragantino
— Continua depois da publicidade —

O Hospital Albert Einstein, responsável pelos exames de coronavírus no Campeonato Paulista, errou 26 testes na equipe do Red Bull Bragantino. Os atletas foram diagnosticados com o vírus, ficaram afastados da equipe, mas tiveram a liberação para o jogo porque os testes no dia da partida deram negativo.

O laboratório, que também testará os clubes para o Brasileirão, confirmou a divergência dos exames por conta de um problema com um reagente usado. A cada rodada, são cerca de 70 testes feitos no Einstein, diagnosticando jogadores, comissão técnica e funcionários que trabalham durante os jogos.

Para o confronto contra o Corinthians, o Bragantino fez uma rodada de testes como de costume. A diferença é que, desta vez, foram 26 resultados positivos. Entre eles, 13 eram de atletas e membros da comissão técnica, sendo sete jogadores titulares.

Os diagnosticados como positivo para Covid-19 ficaram isolados e não treinaram por dois dias. A equipe, que vinha fazendo exames constantemente, estranhou os resultados. Então, o clube decidiu refazer os testes no laboratório Fleury e Cura – deram negativo.

Reviravolta

Com esses testes em mãos, o Bragantino voltou ao Einstein para, mais uma vez, refazer os exames. Na quinta-feira (30), dia do jogo contra o Corinthians, as 26 pessoas que eram dadas como portadoras do vírus dois dias atrás testaram negativo. Dessa maneira, os sete titulares foram liberados, às 17h, para atuar na partida, que começava às 19h.

O Hospital Albert Einstein reconheceu o erro nos diagnósticos dos atletas e funcionários do Bragantino. O problema, segundo o laboratório, era em um reagente utilizado na testagem, e afirmaram quem não usarão mais a substância.

Em nota, o Einstein comentou sobre o ocorrido:

“O Einstein recebeu amostras de secreção nasofaríngea de atletas e membros da Comissão Técnica do Red Bull Bragantino para análise da presença da Sars-Cov2. As amostras tiveram resultado liberado no fim da tarde da última terça-feira, dia 28, sendo que algumas apresentaram resultado positivo.

Na quinta-feira, dia 30, o Red Bull Bragantino solicitou um novo teste destas amostras, que foram coletadas e processadas no mesmo dia. No novo processamento, estas amostras resultaram negativas.

Na análise dos processos internos, identificou-se um lote específico de reagentes importados (“primers”) com instabilidade de funcionamento, que foram provavelmente os responsáveis pelos resultados divergentes.

A fabricante, uma empresa internacional, foi imediatamente notificada sobre a ocorrência e os lotes com desempenho atípico foram retirados da rotina de exames do laboratório do Hospital Israelita Albert Einstein.”

Clique para comentar

Deixe uma resposta

As últimas

Ao topo