Atlético-MG

Em noite de protestos, Atlético-MG vence América de Cali e garante classificação na Libertadores

Foto: Ricardo Maldonado/Pool/Imago Images

O momento não era ideal para ter futebol. Isso porque enquanto América de Cali e Atlético-MG disputavam dentro do Estádio Romélio Martínez, em Barranquilla, uma partida de futebol, fora, colombianos protestavam contra atitudes do governo e várias bombas eram claramente ouvidas. O jogo foi paralisado diversas vezes por conta do gás lacrimogênio, usado para no confronto, que acabou afetando os atletas no gramado.

No entanto, se era necessário cumprir a agenda da Conmebol, o Galo não tomou conhecimento do adversário e, em território inimigo, venceu por 3 a 1. Com gols de Hulk, Guilherme Arana e Vargas, o Atlético chegou a 10 pontos na liderança do Grupo H da Copa Libertadores e não pode ser mais alcançado por América de Cali e Deportivo La Guaira.

No mesmo grupo, o segundo colocado é o Cerro Porteño-PAR. Agora, o Atlético trabalha pela liderança geral, para ter vantagens na próxima fase do torneio.

O Galo agora se prepara para o duelo contra o América-MG, pela primeira partida das finais do Campeonato Mineiro, que ocorrerá no domingo (16), no Estádio Independência, às 16h. Pela Libertadores, na próxima quarta-feira, às 21h (de Brasília), o Galo vai até o Paraguai enfrentar o Cerro Porteño, na disputa pela liderança do grupo H.

Primeiro tempo

O Atlético iniciou a partida pressionando mais o América de Cali. Os mandantes passaram os primeiros minutos de jogo sem conseguir sair para o ataque, pois precisava suportar uma pressão atleticana que tinha intensidade e muita velocidade no setor ofensivo.

Aos 20, o Galo chegou ao primeiro gol. Nacho Fernandez recebeu a bola e fez o cruzamento na medida para Hulk, que de cabeça marcou o tento abrindo o placar. Com o gol, o camisa 7 chegou ao quinto na Copa Libertadores, e superou Ronaldinho Gaúcho em gols marcados no torneio. O artilheiro histórico do Galo na competição é Jô, com 11 anotados.

A superioridade atleticana, no entanto, não durou muito tempo. Três minutos após o placar ser aberto, Moreno recebeu a bola na área, limpou o lance e bateu para empatar o placar. Depois disso, ficou difícil fazer qualquer análise de futebol. Isso porque o jogo parou por várias vezes por causa do gás lacrimogêneo pelos protestos fora do estádio. Os jogadores tinham dificuldades na respiração e problemas em campo.

Segundo tempo

Apesar de não ter condições de jogo, o árbitro queria ver a bola rolar. Logo aos oito minutos, o alvinegro mineiro conseguiu desempatar o jogo em boa jogada de Savarino que encontrou Guilherme Arana no lado esquerdo. O lateral atleticano acertou um lindo chute, sem ângulo, e mandou para o fundo das redes.

O América de Cali cresceu na partida. Com o resultado negativo e sem possibilidades de classificação, a única alternativa viável era se mandar para o ataque e tentar alguma coisa diferente em busca de um empate. O Atlético optou por se defender e segurar o resultado. No entanto, quando tinha a bola, apostava em alguns contra-ataques para ampliar o placar.

E em um desses contra-ataques, Tardelli puxou a bola e deixou para Vargas. O chileno deu um belo lençol no goleiro antes de mandar para o fundo das redes e dar números finais ao confronto.

Unable to load Tweets

Para saber tudo sobre o Atlético-MG, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Instagram e Facebook.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top