Bahia

Independiente até saiu na frente, mas Bahia buscou o empate e duelo terminou igual em Pituaçu pela Copa Sul-Americana

Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia

Seria épico se não fosse a falta de qualidade técnica. Bahia e Independiente empataram em 2 a 2, nesta terça-feira (4), em Pituaçu, no duelo válido pela terceira rodada da fase de grupos da Copa Sul-Americana. O Independiente saiu na frente com Herrera e ampliou, já no começo da segunda etapa, com Velasco, em duas penalidades.

O Bahia tentou a remontada e diminuiu com Thaciano e Luiz Otávio, e no finalzinho do jogo ainda teve uma penalidade a seu favor, na oportunidade de virar o jogo, mas Gilberto cobrou mal e desperdiçou a cobrança num Pituaçu alagado, frio e que poderia ter visto um duelo mais técnico. Faltou futebol.

DEBAIXO DE CHUVA E ROJOS NA FRENTE

Debaixo de muita chuva, Bahia e Independiente se enfrentaram em Salvador em uma briga direta pela liderança do grupo B da Copa Sul-Americana. O Bahia começou o jogo pressionando a equipe argentina mas foi o Rey de Copas que levou perigo primeiro. Aos sete minutos, em bola cruzada para a grande área, Nino Paraíba perdeu o tempo da bola que sobrou para Togni, que dominou e bateu forte para o gol, exigindo grade defesa de Matheus Teixeira.

O próprio Nino Paraíba teve de ser substituído para a entrada de Renan Guedes, pois o paraibano sofreu uma entrada do adversário argentino e não encontrou condições de continuar no jogo. A chuva apertou em Salvador e o ritmo do jogo caiu bruscamente, ficando restrito ao meio de campo. Aos 30 minutos o duelo ressuscitou. Thaciano cruzou para Gilberto, dentro da pequena área, e o atacante do Bahia se estucou inteiro, encostou a ponta do pé na bola e exigiu grande defensa do goleiro Sebastián Sosa. Logo após, Sosa defendeu mais uma do Bahia, dessa vez foi num chute de Gilberto, que finalizou no meio do gol, facilitando o trabalho do goleiro da equipe argentina.

O que o Bahia não contava era na falha de Luiz Otávio, que cometeu uma penalidade após derrubar o adversário dentro da grande área. Herrera não tem nada a ver com isso, cobrou e converteu para os visitantes, 1 a 0 para o Independiente.

Primeira etapa foi debaixo de muita chuva em Salvador (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

INDEPENDIENTE ATÉ TENTOU, MAS O BAHIA REAGIU

A segunda etapa prometia muita emoção depois do que aconteceu na primeira etapa. E foi de cara. Aos três minutos do segundo tempo, mais um pênalti – bobo – a favor do Independiente e cometido por Renan Guedes e convertido por Velasco. Dois a zero a favor dos argentinos que pouco tinham criado na partida e tiveram dos céus o presente brasileiro em forma de penalidades.

O Bahia parecia perdido em meio às poças d’agua do Pituaçu, mas num chute de fora da área de Rodriguinho veio o que seria uma possível remontada. Aos 13 minutos, Rodriguinho bateu de longe, a bola bate na trave ainda com desvio de Sosa, e na volta cai nos pés de Thaciano que, com o gol aberto, só empurra para o fundo do gol para diminuir o placar do jogo.

O Bahia tentou, tentou, tentou, mas esbarrava na falta de criação e insistência em jogar pelas laterais. Numa bola avulsa, das tantas que o Bahia jogou dentro da área, Luiz Otávio, se redimindo após o pênalti cometido lá na primeira etapa, marca, de cabeça, o gol de empate do Bahia. O Esquadrão estava mais que vivo no jogo. E um minuto depois m pênalti para o Bahia. Seria o roteiro perfeito para a redenção e um jogo que iria para a eternidade. Seria uma remontada épica numa noite de futebol sul-americano.

Gilberto na cobrança da penalidade e…desperdiçou. Numa cobrança baixa, praticamente um recuo para o goleiro Sosa que, praticamente, agradeceu à falha do atacante brasileiro. Dos cenários possíveis, o Bahia arranca um empate com o Independiente, dentro de casa, e a luta pela classificação na Sul-Americana segue em aberto no grupo B.

Gilberto até tentou, mas não era a noite do artilheiro do Bahia (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

DESTAQUE DA PARTIDA

O destaque do duelo foi de ambos os lados. Herrera, pelo lado do Independiente, bagunçou o meio de campo do Bahia, lateralizou o jogo e deixou o dele, de pênalti. Já no lado brasileiro, do marasmo técnico que foi o Bahia no jogo de hoje, Rodriguinho se sobressaiu aos demais, e foi decisivo no duelo.

SITUAÇÃO NA COMPETIÇÃO

Com o resultado desta noite, a classificação do grupo B da Copa Sul-Americana permanece a mesma. O Independiente é líder com 7 pontos somados, e o Bahia vem logo atrás, na segunda colocação, com 5 pontos, e resta três jogos a serem disputados para eles nesta competição. Lembrando que só avança o primeiro colocado de cada chave, então a disputa promete ser acirrada nas próximas rodadas.

PRÓXIMOS COMPROMISSOS

O Bahia volta a campo no próximo sábado (8), em um duelo fundamental na temporada: a final da Copa do Nordeste. Será o jogo de volta, realizado na Arena Castelão, em Fortaleza, às 16h, contra o Ceará e a equipe cearense está em vantagem por ter vencido o jogo de ida por 1 a 0.

Para saber tudo sobre a Copa Sul-Americana, siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook!

CLIQUE AQUI PARA CONFERIR MAIS DESTE TEMPO REAL
Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top