Copa América

Argentina vence a primeira na Copa América diante do Uruguai

Foto: Argentina/Divulgação

Depois de estrear com um empate diante do Chile, a Argentina conseguiu seus primeiros três pontos contra o Uruguai. A Albiceleste venceu por 1 a 0 no estádio Mané Garrincha, em Brasília, e divide a liderança do Grupo B com os chilenos, com ambos com quatro pontos ganhos. Já os uruguaios depois de folgarem na primeira rodada, estreiam com derrota e estão na lanterna do grupo junto com a Bolívia.

A partida ganhou contextos diferentes em duas fases principais. Nos primeiros 20 minutos, a Argentina manteve uma marcação forte e alta, tentou buscar a recuperação da posse de bola já no campo ofensivo. A Albiceleste foi bastante incisiva, tendo boas chances e marcando um gol logo aos 12 minutos por Guido Rodriguez, após cruzamento de Messi. Depois dessa primeira parte do primeiro tempo agressiva, a Argentina começou a marcar com menos intensidade e deixou a posse de bola para a equipe uruguaia.

Foto: Divulgação/Uruguai

Contudo, nenhuma seleção produziu ofensivamente para criar chances reais de gol. O Uruguai foi muito pouco criativo e buscou muito o jogo pelas laterais, tentando criar espaço para a dupla Cavani e Suarez, que foram muito bem marcados. Desse modo, a principal jogada da Celeste foi tentar cruzamentos para área, todos muito bem defendidos pela ajustada linha defensiva dos argentinos, que cresceu de produtividade com Romero.

Siga o Esporte News Mundo no Twitter, Facebook e Instagram.

Messi foi principal maestro da Argentina novamente. Com mais liberdade dentro de campo, flutuando pelos setores, o camisa 10 ajudou na criação das jogadas e não ficou estático apenas em um lugar. Desse modo, foi muito mais influente e conseguiu deixar sua seleção mais leve. Fez boa parceria com Lo Celso, o qual foi novamente um dos destaques da equipe, sendo um termômetro no meio-campo da equipe.

O jogo

A Argentina iniciou a partida mais propositiva que o Uruguai. A Albiceleste adiantou a marcação para pressionar a saída de bola dos adversários, enquanto a Celeste apostava mais em um jogo reativo. Logo aos 3′, Acunã recuperou a bola no campo de ataque e arriscou o chute. Aos 7′, Messi faz o drible e arriscou um chute. O goleiro Muslera deu rebote e Lautaro Martinez desperdiçou a chance de abrir o placar. Entretanto, aos 12′ a pressão fez efeito. Messi fez o cruzamento e Guido Rodriguez cabeceou para o fundo do gol.

A seleção uruguaia parecia um pouco artodoada com a pressão estabelecida pelos argentinos e não conseguiam trocar passes e pressionar o adversário. Enquanto isso, a Argentina seguia mantendo a pressão forte na saída de bola dos uruguaios e manejavam a posse de bola para controlar o jogo. Lionel Messi começou a rodar mais setores no campo e foi mais infuente na criação para levar perigo. Lo Celso era quem mais se aproximava do camisa 10 argentino, ajudou na criação e era um termômetro para a equipe.

Guido Rodriguez comemora o gol que abriu o placar para a Argentina – Foto: Divulgação/Argentina

Na metade do primeiro tempo, os argentinos começaram a não adiantar tanto a marcação e explorar um pouco mais os espaços deixado pelos uruguaios. Com isso, a seleção Celeste começou a chegar mais perto da área defendida do Martínez, mas sem muito perigo. Aos 27′, Cavani invadiu a área e tentou driblar Otamendi e caiu na área. Houve reclamação, mas nada foi marcado, mesmo com a revisão do VAR. O restante da primeira etapa seguiu a mesma tônica, com o Uruguai com um pouco mais de posse, mas sem consegui usufruir e levar perigo para a Argentina.

Já no segundo tempo, o Uruguai voltou melhor e tentou pressionar a Argentina. Contudo, as investidas continuaram sem sucesso por parte da Celeste. O jogo ficou mais truncado e o árbitro Wilton Pereira Sampaio começou a marcar mais faltas e distribuiu cinco cartões amarelos. A partida ficou mais morna pela pouca produção ofensiva de ambas equipes, muito por conta das defesas que souberam neutralizar os perigos.

Aos 24′ da segunda etapa, veio o primeiro lance de perigo. Matias Viña recebeu na ponta esquerda e fez o cruzamento. A bola atravessou toda área, sem que Suárez ou Cavani pudessem empurrar a bola para dentro do gol. A medida que o tempo fosse passando, a seleção uruguaia começava a ceder mais espaço para os argentinos, o que fou explorado pela velocidade de Messi e Di Maria, que entrou no lugar de Nicolás González. Contudo, nenhuma investida foi convertida, com os argentinos mantendo a posse de bola e para administrar a vantagem.

Ficha Técnica

  • Argentina 1 x 0 Uruguai
  • Estádio Mané Garrincha – Brasília
  • Data: 18 de junho de 2021
  • Horário: 21h
  • Árbitro: Wilton Pereira Sampaio
  • Cartão amarelo: Martínez, Lo Celso e Joaquín Correa (ARG); Torreira e Ocampo (URU).
  • Gols: Guido Rodriguez (12’/1T).

Argentina: Martínez; Molina, Otamendi, Romero e Acuña; Guido Rodriguez, De Paul (Pezella) e Lo Celso (Palacios); Messi, Nico González (Di Maria) e Lautaro Martínez (Joaquín Correa). Técnico: Lionel Scaloni

Uruguai: Muslera; Giovanni González (Facundo Torres), Godín, Gimenez e Viña; Torreira (Vecino), Valverde (Gorriarán), Bentancur (Nández) e De La Cruz (Ocampo); Cavani e Suárez. Técnico: Óscar Tabárez

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top