Athletico

Athletico domina ações do jogo, mas é ineficiente no ataque; veja números

Athletico -
Foto: Reprodução/Athletico
— Continua depois da publicidade —

Após o empate do Athletico em 0 a 0 com o Jorge Wilstermann, pela Libertadores, o técnico Eduardo Barros avaliou que “faltou a capacidade de colocar a bola para dentro”. O Furacão domoniu todas as ações do jogo, especialmente no primeiro tempo, porém teve dificuldades em furar a retranca e a marcação do adversário e em caprichar nas finalizações.

Eduardo Barros escalou a equipe com: Santos; Jonathan, Thiago Heleno, Pedro Henrique e Abner; Wellington, Erick, Christian e Cittadini; Fabinho e Pedrinho. O ataque do time estava apagado: os jovens Pedrinho e Fabinho até tantavam chegar em jogadas de velocidade, mas, muito por conta da marcação da defesa do Wilstermann, não conseguiam ser eficientes na hora de fazer o passe final ou finalizar. As melhores chances do Furacão vieram do lateral Abner e do volante Erick.

No primeiro tempo, o Athletico teve incríveis 80% de posse de bola, e 11 finalizações, sendo duas no gol, enquanto o Wilstermann não chutou para o gol nenhuma vez. O Rubro-Negro ainda teve 8 escanteios, contra nenhum a favor do time boliviano.

Já no segundo tempo, o Jorge Wilstermann começou a sair mais e teve finalizações, que pararam em Santos. No total, a posse de bola foi de 71% x 29%, e 21 finalizações contra 3. Além disso, o Athletico teve um grande número de cruzamentos na área, mas que não deram resultado.

Confira as estatísticas do site Sofascore:

AthleticoEstatísticasWilstermann
71Posse de bola29
21Finalizações3
5Finalizações no gol3
11Escanteios2
491 (89%)Precisão no passe147 (62%)
18/55 (33%)Cruzamentos0/4 (0%)

Na coletiva após a partida, Eduardo Barros se disse “satisfeito com a produção, mas não com a eficácia”. Para o técnico, faltou o time se estruturar melhor no ataque para o Furacão cravar a liderança do grupo C:

– Vou rever o jogo, mas estou satisfeito com o volume real de oportunidades que nós criamos. Pelo o que produzimos, o que me preocupa é a falta de eficácia, que não apresentamos nos jogos anteriores. Mas prefiro valorizar a entrega, o desempenho e o compromisso com o ‘Jogo CAP’ que os jogadores tiveram.

Agora, o Athletico tem uma maratona de jogos do Brasileirão antes da última rodada da fase de grupos, no dia 20 de outubro, que será contra o Peñarol. Eduardo Barros deve aproveitar a sequência para testar novas formações e reforços, como Jorginho, Ravanelli e Renato Kayser. Além disso, logo o time deve ter a volta de Nikão, que está lesionado.

O próximo jogo do Furacão é contra o Flamengo, no domingo, às 16h. A partida é válida pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Para saber tudo sobre a Libertadores, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Instagram e Facebook.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

As últimas

To Top