Flamengo

Atuações ENM: Flamengo vai mal coletivamente, perde para o Athletico-PR e está fora da Copa do Brasil; veja notas

Atuações ENM: Flamengo vai mal coletivamente, perde para o Athletico-PR e está fora da Copa do Brasil; veja notas
Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

Diego Alves: Por mais que a gente tente justificar, não chegamos a uma conclusão de como um goleiro da altura técnica de Diego Alves tome um frango como esse no Maracanã, em uma jogada em que Nikão tentou o gol, o chute saiu fraco e, infelizmente, o goleiro falhou. Vale lembrar que Diego trabalhou muito pouco na noite de hoje. Nota: 4,5.

Isla: Não foi o lateral de costume. Ficou durante todo o jogo perturbado com a presença do atacante Kayser, que não permitiu ao chileno desenvolver seu futebol normal de apoio ao ataque rubro-negro. A noite não foi boa para ele. Nota: 5.

Rodrigo Caio: Lutou, brigou e teve muita dificuldade para parar o ataque do Athletico. Foi sacrificado pela ausência de coberturas que o Flamengo não fazia quando a zaga era atacada. Valeu pela luta constante. Nota: 6.

Léo Pereira: Não teve culpa de nada e a exemplo de Rodrigo Caio, batalhou até o minuto final e teve, também, muita dificuldade nas investidas do adversário. Trabalhou muito e mostrou que não desiste facilmente. Nota: 5.

Filipe Luís: Saiu contundido e talvez tenha feito a sua pior partida no Flamengo. Cometeu um pênalti de jogador iniciante e deu oportunidade constante aos atacantes adversários. Sua contusão foi na panturrilha. Nota: 4.

Willian Arão: Um dos poucos que se salvaram no desastre do Maracanã. Tentou de todos os modos alimentar o ataque rubro-negro e batalhou muito para impedir que o time adversário construísse sua jogadas através do meio de campo. Nota: 6,5.

Diego: Voltou ao time titular, mas quase todo mundo sabia que ele não está totalmente recuperado e anda fora de forma. Não teve a desenvoltura de costume e não conseguiu ser aquele jogador que sempre participa da armação de grandes jogadas iniciadas no meio de campo e que chega de maneira perfeita ao ataque. Foi substituído por Michael no intervalo. Nota: 4,5.

Andreas: Trabalhou como de costume, mas não teve aquela atuação de brilho total como a torcida acostumou a vê-lo. Por várias vezes teve oportunidade de construir jogadas com seus companheiros, mas preferia tentar o arremate para o gol e não conseguiu sucesso. Nota: 5,5.

Everton Ribeiro: Não teve muitas oportunidades e não conseguiu repetir suas grandes atuações. Foi igual a maioria de seus companheiros, que se mostraram assustados com a marcação perfeita do Athletico. Nota: 4,5.

Bruno Henrique: Não foi nem sombra daquele atacante vibrante e perigoso que a gente tanto admira na equipe de Renato Gaúcho. Pareceu fora de forma e não conseguiu se entender com o seu companheiro Gabigol, ficando a dever na partida em que o técnico Valentim anulou totalmente sua presença no ataque rubro-negro. Nota: 4.

Gabigol: A mesma coisa aconteceu com o comandante de ataque, goleador perfeito, que não marca há oito jogos e teve atuação apagada totalmente na noite de hoje. Para se ter uma ideia, Gabigol conseguiu acertar a meta do goleiro Santos somente por duas vezes e sem levar nenhum perigo para a meta do Athletico. Nota: 4.

Siga o Esporte News Mundo no InstagramTwitterFacebook e Youtube.

SUBSTITUIÇÕES

Matheuzinho: Pode ser considerada uma peça de reposição valiosa quando entra no lugar de Isla. É bom na defensiva e participa muito bem no apoio quando o ataque precisa dele. Hoje não foi diferente. Nota: 5.

Ramon: Entrou no lugar de Filipe Luís pela lateral-esquerda e teve algumas arrancadas que levaram perigo para o gol de Santos. Sua presença deu uma melhorada no ataque rubro-negro. Foi em um lançamento seu, que Andreas ficou de frente para o gol e quase marcou. Nota: 5,5.

Vitinho: Renato tentou, com a entrada dele, melhorar os arremessos para a meta contrária. Vitinho é dono de um chute forte e sabe driblar como poucos. Pena que entrou no jogo quando a coisa já não andava boa para o Rubro-Negro. Tentou alguns arremessos, mas não teve sucesso. Nota: 4.

Kenedy: Foi outro atacante que Renato colocou em campo, tirando Everton Ribeiro para sufocar a defensiva contrária. Não funcionou. Nota: 4.

Michael: Entrou no intervalo da partida e modificou o sistema atacante do Flamengo. Por várias vezes fez fila e mostrou que é arisco e que está sempre presente nas jogadas rubro-negras. Fez uma movimentação maravilhosa e por muitas vezes serviu aos seus companheiros de modo preciso e muitos deles não conseguiram finalizar as jogadas. Foi, sem dúvida, o melhor do time de Renato. Nota: 7.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top