Atlético-GO

Barroca elogia o Fortaleza, mas lamenta empate do Atlético-GO em casa: ‘Agora é virar a chave’

Foto: Bruno Corsino-ACG

Eduardo Barroca continua invicto no comando do Atlético Goianianse, mas dessa vez, perdeu a chance de vencer um adversário direto. Jogando em casa, o Dragão ficou no 0 a 0 com a equipe do Fortaleza, em partida válida pela quarta rodada do Brasileirão. Após a partida, o técnico do rubro-negro goiano concedeu entrevista coletiva, onde elogiou o adversário, mas lamentou as boas chances desperdiçadas pela sua equipe. Confira alguns trechos do que disse o treinador:

“Achei uma partida bastante difícil, como a gente já imaginava que seria, uma equipe muito bem organizada coletivamente, muito intensa, assim como a nossa equipe também. Foi um jogo disputado, muito competitivo, um jogo de poucas oportunidades, mas um jogo de muita intensidade, um jogo muito sensível, qualquer erro ali seria fatal e entendo que o Atlético foi bastante competitivo, teve as suas oportunidades, tivemos diversos escanteios, faltas, bola parada, tivemos a oportunidade de frente, tivemos chute do Natanael, de fora, de perna direita, mas não foi suficiente pra gente vencer o jogo. Agora é virar a chave dessa partida, mais uma partida muito difícil no final de semana, mas esse jogo também me mostrou indicativos muito positivos de evolução da equipe em alguns aspectos coletivos. Jogamos hoje uma partida contra uma equipe que vai, na minha visão, chegar longe na competição e a gente se portou muito bem.”

+ Para saber tudo sobre o Atlético-GO, siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook!

Apesar do placar zerado, Barroca diz não estar preocupado com o poderio ofensivo do Dragão. O treinador também projetou o duelo difícil contra o Athletico na próxima rodada:

“Bem, me preocuparia mais a parte ofensiva se a gente não tivesse criado nada. Eu acho que o Atlético dentro da circunstância do jogo, do nível do adversário, da intensidade, eu acho que o Atlético criou algumas oportunidades, a gente teve muitas bolas paradas, a gente teve chute fora, a gente teve a oportunidade lá com o Janderson, tivemos diversos cruzamentos no primeiro tempo que a bola foi passando ali, atravessando a área, mas obviamente a gente tem ainda uma margem de crescimento muito grande na questão ofensiva, os jogos que a gente conseguiu colocar vantagem, sair na frente, foram os jogos que a gente venceu, então isso precisa ser uma referência pra gente.”

+ Atlético-GO busca espantar “zica” das últimas participações em oitavas da Copa do Brasil; veja o retrospecto

“Sem sombra de dúvidas o jogo contra o Athletico vai ser um jogo difícil, mais uma vez pelo adversário, pelo momento que vive, mas eu, pessoalmente, não gosto de usar o termo “saber sofrer”, porque saber sofrer algo que você não controla. Eu vou dizer que a gente vai precisar se defender de uma forma organizada, de uma forma agressiva, a gente vai precisar saber mentalmente, viver todos os momentos do jogo, vai ser um jogo de um nível muito alto, um jogo difícil, como foi o de hoje, mas eu tenho total convicção que a gente vai recuperar fisicamente desse jogo de hoje e a gente vai chegar lá com uma condição de fazer um bom jogo aí contra a equipe do Athletico Paranaense.”

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top