Olimpíadas

Bia Ferreira conquista a primeira prata do boxe feminino brasileiro

Rafael Bello/COB

Na madrugada deste domingo, dia 8 de agosto, Bia Ferreira disputou a primeira final do Brasil na história do boxe olímpico feminino e acabou superada pela irlandesa Kellie Harrington, ficando com a prata.

Foi a terceira medalha do boxe brasileiro nos Jogos Olímpicos de Tóquio, que teve um bronze com Abner Teixeira, o ouro com Hebert Conceição e agora a prata de Bia Ferreira.

Campeã mundial de boxe feminino amador em 2019, Bia era uma das favoritas ao ouro, mas tinha pela frente uma pedreira, Kellie Harrington é dona de um ouro e uma prata no mundial de boxe feminino, além de também ser prata nos jogos europeus, no campeonato da União Europeia e bronze no campeonato europeu.

Para chegar na final, Bia teve um score perfeito, vencendo todas as suas lutas na visão dos cinco juízes, ou seja, de forma unânime e começou a disputa pelo ouro confiante.

A brasileira dominou o centro do ringue no primeiro round, fazendo a irlandesa se movimentar e girar, tentando manter a distância e controlar a luta com a sua maior envergadura, mas quando ia para cima, a adversária dava espaço para os cruzados de Bia Ferreira.

Siga o  Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook

Ao final do primeiro round, a brasileira vencia o combate na visão de três dos cinco juízes.

O segundo round não teve uma figura muito diferente, com Bia buscando mais a luta durante todo o tempo, mas a irlandesa sendo certeira nos contragolpes e buscando o clinch toda vez que se via em apuros. A estratégia funcionou e Harrington conseguiu vencer na visão de todos os juízes do combate.

Na volta para o terceiro round, Bia foi ainda mais agressiva e buscou mais a luta, porém isso deu espaço para a adversária pontuar ainda mais no contragolpe e até usar mais o clinch, sendo mais precisa nos golpes contundentes e vencendo novamente na visão de todos os cinco juízes.

Kellie Harrington acabou derrotando Bia Ferreira por unanimidade, com três 29 a 28 e dois 30 a 27, ou seja, três juízes viram vitória de Harrington em dois rounds (o segundo e o terceiro) e de Bia em um round (o primeiro) e dois viram a irlandesa vencer todos os assaltos.

Quando o resultado foi anunciado, Bia foi até a câmera de transmissão e pediu desculpas para seu pai e para o país: “desculpa pai, desculpa Brasil”, gritou a atleta vice-campeã olímpica, que marcou uma geração ao conquistar o melhor resultado do Brasil na modalidade.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top