Automobilismo

Bottas vence GP da Turquia; Verstappen supera Hamilton e é novamente líder do Mundial

GP da Turquia

A liderança do Mundial de Pilotos trocou de mãos mais uma vez neste domingo (10). Max Verstappen capitalizou a posição de largada de Lewis Hamilton, chegou à frente do rival e abriu seis pontos na disputa pelo título. A vitória de Valtteri Bottas reduz, em parte, a frustração da Mercedes.

O finlandês conquistou sua 10ª vitória na categoria fazendo uma corrida sólida e com uma ultrapassagem sobre Charles Leclerc, da Ferrari, apesar do asfalto molhado em Istambul. As equipes optaram por pneus intermediários de chuva, dada a garoa fina que já havia atrapalhado o treino classificatório.

A Red Bull, com pintura especial em homenagem a parceira Honda, deixa Istambul com dois pilotos no pódio: Verstappen terminou em segundo e Sérgio Pérez, após grande prova, completou o pódio.

Parar ou não parar?

Hamilton largou em 11º e teve dificuldade para se livrar de Yuki Tsunoda nas primeiras voltas, o que atrasou seu progresso na corrida. O inglês chegou a ficar em terceiro, logo atrás de Verstappen, mas precisou lidar com o dilema dos pneus desgastados. Permanecer ou não na pista?

Sem a parada nos boxes, corria o risco de ser ultrapassado ou ter o pneu estourado. Acabou escolhendo seguir a orientação da Mercedes e caiu para quinto lugar.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e FacebookConheça nosso canal no Youtube!

Batalha com Pérez

O principal momento do GP da Turquia foi a batalha entre Hamilton e Pérez. O heptacampeão tentou a ultrapassagem em cima do mexicano pouco depois da metade da prova, chegando a espremer o piloto da Red Bull na entrada dos boxes.

Pérez resistiu e retomou a posição com uma linda ultrapassagem, ajudando Max Verstappen a ter mais tranquilidade em gerenciar os pneus e manter a segunda colocação.

Sem pit stop

O GP Turquia registrou uma estatística curiosa: Esteban Ocon, da Alpine, foi o primeiro piloto a terminar uma corrida sem realizar parada nos boxes desde Mika Salo no GP de Mônaco de 1997, na extinta equipe Tyrrell.

A marca só foi possível porque o regulamento, que obriga o uso de ao menos dois tipos de compostos (macio, médio ou duro), abre uma exceção para corridas com chuva, como foi o caso na prova de Istambul.

Bolha no pneu de Ocon. O francês não realizou a troca (Divulgação / Twitter F1)

Os pilotos voltam às pistas no dia 24 de outubro, no GP dos Estados Unidos.  

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top