Olimpíadas

Brasil vence Egito com gol de Matheus Cunha e garante vaga na semifinal das Olimpíadas

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Com gol do atacante Matheus Cunha no primeiro tempo, o Brasil venceu por 1 a 0 o Egito, na manhã deste sábado (31) e avançou para a semifinal dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Jogando na cidade de Saitama, a Seleção foi superior ao Egito e agora espera o vencedor do duelo entre México x Coreia do Sul, para descobrir seu próximo adversário na próxima fase. A partida da semifinal está marcada para próxima terça-feira (3), ás 5h (horário de Brasília).

Ao vivo: confira tudo sobre as Olimpíadas no ENM
++ Dias e horários dos jogos e competições das Olimpíadas de Tóquio

PRIMEIRA ETAPA DE GOL

O Brasil começou pressionando, querendo jogo, atacando com os laterais, tentando criar pelo meio de campo, cercando o Egito. Mas o Egito também tentava chegar e levou perigo aos 12′, após bate e rebate na área, Douglas Luiz corta o chute, mas a bola vem para Tawfik que cabeceia muito perto do gol, Santos pulou na bola, mas ela passou raspando a trave. Richarlison desde o início mostrava que queria jogo, aos 15′ ele serviu Antony, que fez a jogada tradicional, puxar para o meio e bater, mas a bola passou por cima da meta de El Shenawy.

A partida era muito disputada, com ninguém tirando o pé, mas o Egito tentava chegar também, principalmente em contra-ataques. Aos 27′ a equipe do Egito chegou, mas após um bom cruzamento pela esquerda, o goleiro Santos saiu e ficou com a bola. Na resposta, o Brasil teve uma ótima chance, mas El Shenawy fez uma boa defesa. Aos 29′ Richarlison que estava com muita sede jogo, tocou para Matheus Cunha, recebeu de novo, quando foi devolver a defesa cortou, mas logo em seguida ele emendou uma bomba de perna direita, por sorte a bola foi em cima do goleiro do Egito. Se não deu certo dessa vez, aos 36′ a parceria Richarlison e Cunha funcionou. Claudinho arrancou no contra-ataque, tocou para Richarlison, ele segurou, viu a passagem de Matheus Cunha, serviu o camisa 9 que dominou e bateu rasteiro no canto esquerdo, sem chances para fazer 1 a 0.

O gol serviu para recompensar a Seleção Brasileira, que era melhor, criava, marcava e mostrava mais sede de jogo. Com a desvantagem, o Egito tentava chegar no ataque, mas a defesa do Brasil estava bem postada. Com a vantagem mínima, o Brasil queria mais para garantir a vaga, teve uma ótima chance aos 45′, após Claudinho sofrer falta na meia lua da área, Douglas Luiz bateu forte, no canto do goleiro, mas a bola passou tirando tinta da trave e o jogo terminou 1 a 0 nos 45 minutos iniciais.

Para saber tudo sobre os Jogos Olímpicos, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Instagram e Facebook.

SEGUNDO TEMPO DE CHANCES PERDIDAS

A etapa final iniciou com uma pressão enorme da Seleção Brasileira. No primeiro minuto Antony fez uma ótima jogada, deu um elástico no marcador, cruzou, Matheus Cunha ajeitou para Claudinho dentro da área, pressionado ele tentou uma boa de biquinho no contrapé do goleiro, mas a bola foi para fora. Na sequência, aos 2′ Cunha recebeu o passe em profundidade, saiu cara a cara com o goleiro El Shenawy, mas na hora de cavar por cima, a bola bateu no goleiro e saiu para escanteio. A Seleção voltou aos 10′ após Paulinho – que entrou no lugar de Cunha que saiu sentindo dor muscular – arrancar, ele viu a movimentação, deu o passe para Guilherme Arana que entrava em velocidade, mas o lateral perdeu uma ótima chance ao bater travado com o goleiro. 

O Brasil queria muito seu gol, aos 12′ teve um bom cruzamento de Paulinho pela direita para Antony que não alcançou na segunda trave. Aos 13′ Douglas Luiz bateu de fora da área e assustou o goleiro El Shenawy. Já aos 15′ uma ótima chance, Paulinho achou Claudinho na área, ele tinha chance da batida, esperou para servir Richarlison que estava na pequena área, mas a defesa chegou antes para cortar. O Egito até tentava, mas pouco chegava para atrapalhar a vida da defesa do Brasil. Quem chegava e perdia chances era a Seleção. Aos 21′ Paulinho perdeu uma ótima oportunidade, após receber o passe em velocidade de Daniel Alves, ele saiu na cara do goleiro, mas bateu em cima do goleiro. 

Aos 26′ o Egito até tentou chegar, a jogada era boa pelo lado esquerdo, mas o atacante Sobhi estava impedido. Na resposta, Paulinho chegou de novo aos 28′, batendo da entrada da área, o chute saiu forte, mas em cima do goleiro. A equipe do Egito tentava matar as jogadas do Brasil com faltas, aos 30′ Richarlison havia sofrido cinco das nove faltas marcadas pelo Egito. Na reta final após o Brasil perder muitas chances, o Egito tentou fazer uma pressão, mas não conseguiu ser eficiente e parou na defesa da Seleção Brasileira e no goleiro Santos.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top