Campeonato Brasileiro

Carille fala sobre a importância da vitória contra o Fluminense: “a gente espera que a mudança possa começar hoje, com esse resultado positivo”

Carille na beira do gramado
Foto: Ivan Storti/Santos FC

Na noite desta quarta-feira (27), o Santos voltou a vencer após anotar o placar de 2 a 0 sobre o Fluminense. A partida disputada na Vila Belmiro teve gols de Madson e Diego Tardelli. Vivendo um momento de incerteza no comando do Peixe, o treinador Fábio Carille falou sobre a partida e outras questões do alvinegro nessa etapa da busca pela fuga da zona da degola no Brasileirão 2021.

QUER FICAR POR DENTRO DE TUDO SOBRE O SANTOS? ENTÃO SIGA O ESPORTE NEWS MUNDO NO TWITTER, INSTAGRAM E FACEBOOK. E NÃO SE ESQUEÇA DE SE INSCREVER NO NOSSO CANAL NO YOUTUBE!

Para abrir a entrevista, Carille abordou logo de cara a importância dessa vitória em casa e como ela é essencial para que o Santos possa virar a chave e voltar para o jogo, especialmente após a derrota enquanto mandante contra o América-MG.

— Foi um jogo de entrega, um jogo de determinação, sabemos que conforme vai afunilando o campeonato a importância do resultado começa a ser com mais urgência. Os jogadores são muito dedicados, a gente não tem nem o que falar, é um grupo que trabalha, um grupo que vai para o CT e procura fazer o seu melhor. E a gente espera que essa mudança possa começar hoje, com esse resultado positivo, nesse jogo contra o Fluminense, que veio de uma vitória no clássico contra o Flamengo. A gente sabia das dificuldades, sabia da pressão, ainda mais pelo resultado negativo dentro de casa no final de semana, mas ficamos muito feliz e parabenizamos todos os atletas, toda a comissão, toda a diretoria por essa vitória tão importante para nós — disse Carille.

O treinador também abordou a questão do psicológico de seus jogadores, que mesmo passando por um momento extremamente delicado souberam focar na partida e buscar o resultado. Carille ainda parabenizou outros envolvidos com a organização da partida.

— Primeiramente, acontecem algumas coisas no jogo que trazem uma certa preocupação. Começamos o jogo muito bem, em pouco tempo uma bola parada acerta o travessão, a bola não entra, e isso me traz uma preocupação, de como os jogadores vão se comportar, “será que vai ser isso mais uma vez?”, e é normal, é natural, são seres humanos, mas a equipe continuou se comportando muito bem, buscando, com entrega. Sabemos que o momento é esse, não vai dar para jogar bonito o tempo todo, tem hora que vai ter que fazer um jogo mais pegado, de entrega, de imposição. Por isso, é importante parabenizar os atletas pela partida, não só pela parte técnica, mas também pela imposição dentro de campo — declarou o treinador Fábio Carille.

LEIA MAIS:

+Atuações ENM: Santos consegue se impor e vence o Fluminense na Vila Belmiro

+Edu Dracena diz que foi “convocado” para o novo cargo no Santos e recebe “carta branca” do presidente

+Santos tem acordo com zagueiro Eduardo Bauermann do América-MG

+Dos 33 pontos em disputa, Santos precisa conquistar 16 para escapar da degola; veja confrontos

Por fim, Fábio Carille falou sobre a grande quantidade de vezes em que foi obrigado a alterar a escalação inicial do Santos para uma versão alternativa. Segundo o técnico, a falta de tempo para treinar novas alternativas para o elenco é o principal problema da comissão técnica do Peixe.

—  Quando a gente chega em um clube com os problemas que tínhamos, principalmente com a classificação, a gente acaba fazendo algumas experiências dentro da competição. A gente leva para o treino, o treino te dá uma resposta legal, aí o jogo não te dá essa resposta, mas eu tenho que fazer isso. É diferente de uma pré temporada, onde você faz dois ou três jogos treino, leva essas ideias, se não funciona você vai arrumando em cima dos outros jogos treino, e a gente não está tendo tempo para isso. Contra o América-MG, não foi taticamente o problema da nossa derrota, nós fomos ali, tentamos o gol, e no minuto final do primeiro tempo acontece aquilo (expulsão de Jean Mota), a gente perde um jogador, sai perdendo de um a zero… Foi assim contra o Juventude, onde o nosso primeiro tempo foi muito bom, o João não tinha trabalhado no jogo, mas aos 45 minutos uma bola aérea leva ao gol e você vai para o vestiário passando aquele filme, principalmente na cabeça dos jogadores, porque eles se apegam no que foi o gol, e não em todo o primeiro tempo. Eles começam a se apegar nas coisas erradas, nas coisas ruins, porque eles são seres humanos. Então eu tenho algumas convicções sobre o time, que já me deu uma resposta muito boa contra o próprio juventude, contra o Grêmio, hoje outra vez… Então eu ainda não estou tendo tempo para fazer tantas experiências e logo eu tenho que levar isso para o jogo, mas a cada dia que eu passo dentro do clube eu tenho mais convicções do que cada jogador pode me dar — finalizou o técnico do Santos, Fábio Carille.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top