Futebol Internacional

CEO da Copa do Catar desmente milhares de mortos nas obras: ‘Foram três’

Foto: Laurence Griffiths/Getty Images

As obras nos oito estádios que receberão jogos da Copa do Mundo do Catar já estão em fase final e apenas um ainda não foi entregue: o Nacional Lusail, que receberá a decisão do torneio. Durante todo o período de obras, reformas e construção dos estádios, a imprensa de todo o mundo noticiou as condições degradantes de trabalhadores, além do falecimento de muitos deles durante o período. O jogador inglês “The Guardian” chegou a publicar que mais de 6500 imigrantes teriam perdido suas vidas em obras relacionadas ao Mundial. Nesta quinta-feira (02), Nasser Al-Khater, CEO da Copa do Catar fez questão de desmentir a informação.

— No Catar faleceram três trabalhadores ligados ao Mundial. Três. São dados públicos que nunca escondemos. Os dados que foram anunciados por vários veículos de imprensa foram divulgados para criar um ambiente negativo e para servir interesses pessoais. São absolutamente falsos e descontextualizados. É um jornalismo irresponsável. Parece que todos os que morrem no Catar estão relacionados com o Mundial — disse Nasser Al-Khater.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook

Ainda com base nas informações do “The Guardian”, os imigrantes que faleceram no Catar seriam procedentes de Índia, Paquistão, Nepal, Bangladesh e Sri Lanka. O número de pessoas desses países que faleceram no Catar teria aumentado de maneira considerável desde que a Copa do Mundo no país foi confirmada, em 2010. Na mesma informação, o jornal inglês relaciona que 37 dessas pessoas eram trabalhadores diretamente ligados à obras nos estádios.

Esse número é amplamente contestado pela organização da Copa do Mundo do Catar. A confirmação oficial é de três trabalhadores que faleceram em acidentes ocorridos durante as obras e diretamente ligados a construções que serão palco do Mundial, em 2022.

Outro assunto abordado por Nasser Al-Khater foi com relação à recepção de pessoas de outros países no Catar. Por ser uma nação bastante fechada, há a preocupação com a aceitação de pessoas de outras religiões, raças, orientação sexual e até mesmo de gênero. De acordo com Al-Khater, isso não será um problema.

— No Catar todos são sempre bem-vindos. Não importa qual seja o gênero, a religião, a raça ou a orientação sexual. As portas estão abertas — garantiu o CEO.

A Copa do Mundo do Catar terá início no dia 21 de novembro de 2022 e com previsão de término no dia 18 de dezembro do mesmo ano. O sorteio da fase de grupos do Mundial está previsto para o dia 1º de abril de 2022.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top