Lutas

Charles do Bronx diz que pode pensar em conquistar mais cinturões no UFC

Divulgação/Facebook Oficial UFC Brasil

Campeão dos leves, Charles do Bronx está no aguardo do chamado do UFC para poder defender seu cinturão. Mas o brasileiro já pensa em voos mais altos e eles podem estar longe da categoria em que reina no Ultimate.

Em entrevista ao podcast Trocação Franca, do site MMAFighting, o paulista afirmou que considera tentar se arriscar numa outra categoria de peso para tentar se juntar ao seleto time dos ‘duplos campeões’ do UFC. Uma alternativa pode ser descer para o peso-pena, onde começou sua trajetória na organização.

– Eu realmente achava que eu nunca desceria mais para os penas. Mas depois deste último corte de peso, fiquei mais perto dos 70kg (limite do peso-leve) perto da luta (contra Dustin Poirier, no UFC 269), com todo o trabalho, com muita água no corpo. E a gente acredita que poderíamos bater os 66kg – disse o brasileiro.

LEIA TAMBÉM

+ Holly Holm pondera focar em categoria dos galos: “Tem cinturão nos penas, mas nunca se sabe o que vai acontecer”

+ Dustin Poirier afirma que cumprirá promessa a Charles do Bronx por doação à entidade

Enquanto peso-pena, Charles do Bronx chegou a estar na briga para tentar se tornar desafiante da categoria, mas os vários problemas com o corte de peso e algumas derrotas ‘forçaram’ o lutador da Chute Boxe Diego Lima a subir de divisão, mas tentar descer e destronar Alexander Volkanovski do cinturão da categoria pode ser uma escolha futura.

Outra alternativa para do Bronx é tomar o caminho inverso, o de subir de divisão. O lutador também planeja tentar-se testar nos meio-médios, onde Kamaru Usman é campeão, e vê tal chance como possível no futuro.

– Se eu tivesse a chance de lutar pelo cinturão nos penas, eu iria. Mas, se eu tiver a chance de lutar direto pelo cinturão nos 77kg (limite dos meio-médios), também iria. Eu subiria, mas hoje vejo como mais viável descer do que subir. Seria maravilhoso um brasileiro ter dois cinturões – afirmou.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top