Ponte Preta

Com acesso distante, Ponte Preta sofre para segurar vantagem no placar

Crédito: AssCom Dourado

Na reta final da Série B do Campeonato Brasileiro, a Ponte Preta tem sofrido para segurar a vantagem no placar.

Nos três últimos confrontos, Macaca abriu o marcador, feito raro na temporada, mas não conseguiu administrar o resultado mínimo para selar a vitória.

LEIA MAIS: Bruno Rodrigues participa de 31,8% dos gols da Ponte Preta na temporada

“É o equilíbrio que a gente está buscando. Antes a gente tinha que correr dobrado quando sofria o gol. Nós tínhamos de correr atrás do resultado. Isso daí gerava um desconforto muito grande. Eu me lembro bem que, há umas sete ou seis partidas atrás, eu vim aqui falar que isso daí não era o ideal e que a gente buscava melhorar isso. Realmente melhorou”, analisou o técnico Fábio Moreno.

“Eu acho que a gente está tomando o gol muito cedo. A gente não está conseguindo nem administrar a partida e estamos sofrendo o gol de empate muitas vezes. Então isso daí acaba que gera um abatimento. Isso aí é normal. O jogador acaba de fazer um gol, está querendo administrar o jogo e está querendo voltar ao campo ofensivo, e acaba sofrendo o gol. Isso daí gera uma decepção. O abalo emocional é normal”, acrescentou.

CASO A CASO

Nos duelos diretos por vaga no G4, Alvinegra fez 1 a 0 em cima do Juventude, em Caxias do Sul, logo no início do segundo tempo, porém sucumbiu à pressão do adversário e deixou o Estádio Alfredo Jaconi com derrota por 2 a 1, de virada, na última atuação oficial de 2020.

No Dérbi 198 contra o Guarani, desta vez no Brinco de Ouro da Princesa, Matheus Peixoto tirou o primeiro zero após assistência de Bruno Rodrigues, ainda na etapa inicial.

No retorno do intervalo, contudo, em erro de passe de Camilo, Mateus Ludke igualou a favor do Bugre.

Por fim, no empate com o Cuiabá, dentro do Moisés Lucarelli, clube campineiro esteve em vantagem em duas ocasiões, graças aos tentos de Bruno Rodrigues e Tiago Orobó, mas errou defensivamente e deixou mais dois pontos pelo caminho ao ser vazado por Marcinho e Jenison.

“A gente sente, só que tem que se recuperar. É parar de tomar os gols e melhorar todo o sistema defensivo. Como eu costumo dizer, não é só a primeira linha e os laterais e zagueiros que fazem parte disso. Muitas vezes, a falha começa lá na frente, no centroavante, no extrema ou no meia, que está por dentro e pressiona errado”, pontuou o comandante alvinegro.

“Então são todos. Todos precisam melhorar para que a gente pare de sofrer esses gols na sequência. Se a gente conseguir segurar um pouco mais o resultado, o adversário vai se expor mais, aí vamos conseguir os contra-ataques e, quem sabe, alargar o placar. Nos últimos dois jogos aí, a gente tinha esse pensamento. A pena foi tomar um gol tão rápido como foi no dérbi e como foi agora”, arrematou.

TABELA

Com igualdade frente o Cuiabá, a Ponte Preta chega a 48 pontos na Série B do Campeonato Brasileiro, provisoriamente na sétima colocação.

O time campineiro volta a campo no domingo, 17 de janeiro, diante do Náutico, novamente no Majestoso, a partir das 16h.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top