Automobilismo

Com mesmo carro, Schumacher tem diferença absurda contra Mazepin; O que explica?

Schumacher Mazepin
Divulgação / Twitter Haas

Desde os testes de pré-temporada, sabia-se que a Haas lutaria com a Williams pelo posto de pior equipe do grid na temporada 2021. Internamente, a disputa entre Mick Schumacher e Nikita Mazepin já tem um vencedor claro até aqui: o jovem alemão tem demonstrado desempenho muito superior ao russo.

No GP de Portugal, Mazepin terminou em último, 1min04seg atrás do companheiro de equipe. Em uma comparação, a pole position foi decidida por 7 milésimos entre Bottas e Hamilton. O que explica essa diferença absurda entre Mazepin e Schumacher?

TALENTO

Claramente, Mick Schumacher tem mais talento (também conhecido como “braço”) que Nikita Mazepin. Em um esporte com as características da Fórmula 1, é natural que um seja melhor que o outro: Hamilton é melhor que Bottas. Verstappen é melhor que Perez. E isso não necessariamente se explica: pode ser mais dedicação nos treinos físicos. Pode ser mais tempo nos simuladores. Equilíbrio mental. Tudo conta.

O reflexo disso é que a adaptação de Schumacher na Fórmula 1 parece estar mais rápida do que a adaptação de Mazepin. É uma categoria exigente, com carros mais potentes, aerodinâmica mais sensível e com adversários muito melhores do que os já enfrentados por eles. Não é uma tarefa simples.

EXPERIÊNCIA E MATURIDADE

Em termos de experiência, os dois passaram pelo kart e disputaram a Fórmula 2, vencendo duas corridas cada um. No entanto, Schumacher venceu o campeonato em 2020, enquanto Mazepin terminou em 5º lugar – e colocando vários pilotos em risco ao não aceitar ser ultrapassado. Veja abaixo as manobras:

Isso reflete o que o russo tem feito na pista hoje em dia, quase estragando a corrida de Perez em Portimão, atrapalhando Giovinazzi em Ímola e rodando em todos os treinos. Falta experiência e maturidade para que ele admita que não é tão bom quanto pensa que é e, a partir disso, trabalhar para melhorar.

PRESSÃO

O filho do dono é, por padrão, o mais observado na área que atua. Sempre paira a dúvida se o profissional está no posto que ocupa por merecimento ou pelo parentesco. No caso de Mazepin, todos sabem que seu pai injetou o recurso financeiro que a Haas precisava para sobreviver – é, na prática, o dono da equipe.

Se não bastasse isso, se envolveu em polêmicas (que podem ser interpretadas como crime) antes mesmo de estrear na equipe, sem conseguir convencer o público que se arrependeu. Quando realiza manobras “heterodoxas”, não assume a culpe ou se desculpa com os colegas.

Assim, cria para si um cenário de pressão por resultados, maior do que já teria normalmente. E isso se reflete em erros, as vezes infantis.

FUTURO

Os dois pilotos são novos, 22 anos. Mas parece evidente que Schumacher tem mais futuro no automobilismo do que Mazepin, não só pelos resultados dessa temporada, mas pelo conjunto da obra.

O alemão faz parte da Academia de Pilotos da Ferrari e está sendo observado de perto por Mattia Binotto. É fácil imaginar que a equipe italiana sonha em ter um Schumacher novamente em Maranello.

Já Mazepin está num limbo: depende do pai por uma vaga na Fórmula 1, sem conseguir impressionar as outras equipes, que têm em Yuki Tsunoda, Esteban Ocon, George Russell e Lando Norris outras opções mais viáveis – sem contar Callum Ilott e Robert Shwartzman, que sempre fazem testes, além de outros jovens pilotos na Fórmula 2.

Todo esse cenário exige que Mazepin entregue mais do que tem feito ultimamente, sem sucesso.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram Facebook.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top