São Paulo

Conheça Pedrinho, o camisa 10 de Alex no sub-20

Reprodução / Twitter

O São Paulo teve um sucesso quase absoluto no sub-20 desde que Alex assumiu o comando da equipe. Apesar de algumas derrotas recentes, o desempenho é ótimo: o time liderou boa parte do Brasileirão invicto, garantiu a vaga para a fase final com tranquilidadeegu e segue muito bem no Paulistão. Um dos pilares desse bom time de está no meio e o nome que aparece vestindo a 10 é o de Pedrinho, ou Pedro Vilhena, como também foi chamado nas categorias de base.

O atleta nascido em 2002 faz parte de uma geração um tanto sufocada do tricolor, encaixotada entre as vitoriosas 99/2000/2001, que revelaram nomes como Tuta, Igor Gomes, Gabriel Sara, Rodrigo Nestor, Antony, Helinho, Morato e Gustavo Maia e a igualmente campeã geração 2003/2004, que traz Marquinhos, por exemplo, já parte do time profissional do tricolor. Embora a 2002 também tenha conquistado títulos, até mais do que a 2001, como o Paulista sub-17 de 2019, a geração teve menos destaque, apesar de nomes ótimos como Talles, Nathan, Juan e o próprio Pedrinho.

+ Para saber tudo sobre o São Paulo, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Facebook e Instagram

O jovem marcou cinco gols e deu quatro assistências na temporada do sub-20 e até já chamou a atenção do técnico Hernán Crespo, sendo chamado para integrar o elenco principal. Além do treinador da Seleção Brasileira Tite, que também contou com o jovem para compor os treinos do Brasil, quando a Seleção treinou em São Paulo.

Trajetória

Cria do futsal, Pedrinho está no São Paulo desde os nove anos de idade, quando começou no salão do tricolor, pelo qual foi multicampeão, atuando ao lado de nomes como Talles Costa e Gabriel Rodrigues, ambos também já observados por Crespo, Talles, inclusive, utilizado em diversos jogos.

Pelo São Paulo, Pedrinho conquistou títulos importantes na quadra, como o estadual e o metropolitano sub-12, um deles em cima do Santos, que tinha nomes como Sandry e Kaio Jorge. No Metropolitano, inclusive, Pedro Vilhena terminou artilheiro da competição.

O destaque no futsal fez o São Paulo chamar o jovem para o campo, aos dez anos, mas por conta das políticas do time na época, de não disputar a categoria sub-11, ele ficou no Taboão da Serra, monitorado pelo tricolor. Não é o primeiro jogador a fazer esse caminho, Marquinhos também passou um período no Taboão e no Embuense, enquanto esperava chegar na categoria certa para integrar o São Paulo.

Já na base do tricolor, em Cotia, os títulos seguiram, como o Base Brasil em 2015, a Paulista Cup em 2018 e o Paulista e a Fam CUP sub-17, em 2019.

Estilo de Jogo

Destro e de bom toque na bola, Pedrinho tem como tendência procurar mais o lado direito do campo, mas aparece muito bem quando atua centralizado. Se diferencia pela arrancada combinada com dribles curtos, oriúndos do futsal e capacidade para buscar o passe mais longo.

Acostumado a vestir a 10, pois foi seu número em praticamente todas as categorias, Pedrinho é um meia que agrega um bom arranque e capacidade para lançamento, podendo fazer o jogo fluir, tanto carregando a bola, como com passes diretos.

No sub-20 de Alex, passou a ser mais comum ver Pedrinho variar o lado e jogar também pela esquerda, algo que acontecia um pouco menos em outras categorias. Por ali, outra característica forte fica mais visível: a finalização de fora da área. Com margem para aprimoramento, o meia já mostra qualidade no arremate de longe, que aparentemente ganhou mais força na última temporada.

Contrato

Em agosto de 2021, Pedrinho renovou com o São Paulo até 2024, prorrogando por mais duas temporadas o vínculo, que ia até junho de 2022.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top