Geral

Conselheiros do América-MG são punidos após xingamentos à arbitragem na partida contra o Cruzeiro

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

O clássico entre América-MG e Cruzeiro ainda segue rendendo. Na última quarta-feira, os conselheiros do Coelho, Anderson Racilan e Marco Antônio Batista, foram punidos pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pelos xingamentos contra o árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva na partida disputada no Independência, dia 2 de dezembro, pela 25ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Os dois estão preventivamente suspensos pelo prazo de 30 dias.

O CASO

Aos três minutos de jogo, o América-MG reclamou de um pênalti não marcado, após a bola pegar na mão do volante Adriano dentro da área do Cruzeiro depois do chute de Rodolfo. Logo depois, Dewson marcou pênalti para o Cruzeiro, depois que Pottker caiu na área em disputa de bola com Messias. Os jogadores do Coelho reclamaram muito e o técnico Lisca acabou expulso, após Sobis converter a cobrança e colocar a Raposa na frente no placar. Na saída para o intervalo, o treinador americano bateu palmas de forma irônica para o árbitro dizendo “parabéns”.

Além disso, após o término da partida, o conselheiro Anderson disse ao árbitro: “tu és safado, ladrão, bandido, merece pegar uns tapas, juiz de várzea, juiz de várzea, juiz de várzea”. No calor do momento, Marco Antônio teria dito que Dewson “veio para fazer o resultado e livra o Cruzeiro, seus bando de ladrões, safados” (sic).

ENQUADRADOS

Por esses fatos, a Procuradoria denunciou Anderson Racilan nos artigos 258 e 243-F do CBJD por conduta contrária à disciplina e ofender a arbitragem, respectivamente. Já Marco Antônio foi denunciado no artigo 243-F por ofensa. Com base no artigo 35 do CBJD destacando a gravidade dos fatos, a Procuradoria pediu a suspensão preventiva de ambos os denunciados.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top