Atlético-GO

Coordenador médico Avimar Teodoro e médico Lucas Ricci comentaram sobre a situação do zagueiro Fellipe de Jesus: “Ele tem risco de vir a óbito”

Credito: Divulgação / Atlético-GO

Na tarde desta quarta-feira (13), o coordenador médico Avimar Teodoro e o médico Lucas Ricci, que fez o primeiro atendimento ao atleta, concederam uma entrevista coletiva a respeito do zagueiro Fellipe de Jesus Moreira, que teve duas paradas cardíacas durante o treinamento na última terça-feira (12). 

Na última etapa do treino, o jogador caiu ao chão e começou a convulsionar e, sob os cuidados do médico Lucas Ricci, o pulso voltou. Mas no caminho do Centros de Atenção Integral em Saúde (CAIS), o atleta teve outra parada cardíaca respiratória. Com a ajuda de todos os profissionais no local, o batimento cardíaco do Fellipe voltou. 

O coordenador médico e o doutor Lucas Ricci foram perguntados sobre o histórico clínico e as causas para que um jogador jovem, de apenas 18 anos, tenha tido essa fatalidade no treinamento. 

De 18 a 35 anos, normalmente, as causas são uma cardiomiopatia hipertrófica. A gente faz exames, como ecocardiograma, para identificar isso, e ele não tinha sinais disso nos exames. Por isso, no hospital de referência Hugol estão investigando melhor para saber as causas, provavelmente uma síndrome mais rara. – disse o doutor Lucas Ricci

Com o monitoramento do clube no Hospital Hugol, ambos foram perguntados sobre a situação atual do zagueiro Fellipe, tendo em vista que o jogador deu entrada ontem.

Agora, ele está fazendo exames para tentar identificar a causa, e estão dando todo suporte ao atleta. Hoje, ele está sem o efeito de drogas vasoativas, drogas que tem o objetivo de fazer o coração bater melhor. Então, ele está mantendo um padrão estável, mas ainda é um caso complicado. Ele está na UTI e entubado. – disse o doutor Lucas Ricci

Além disso, o doutor Lucas Ricci comentou sobre o risco de vida e também sobre o futuro do atleta, se ainda era possível que voltasse a jogar futebol. Já que o Fellipe tem apenas 18 anos, e estava em seus primeiros contatos com os atletas profissionais. 

Ele tem risco de vir a óbito, mas a gente está dando todo suporte no Hugol para que ele saia com a vida. Ele pode ter sequelas, por isso o atendimento rápido, a cada minuto que passa você aumenta ainda mais o risco de sequela.

Doutor Lucas Ricci

A questão da família foi entrado em pauta, e o Atlético-GO, além dos custos no tratamento do atleta, também está dando suporte a família, desde a viagem para Goiânia até cada momento que os parentes do jogador estiverem na cidade. 

Ele chegou ao Dragão há cerca de dois meses. Feitos no começo do mês de setembro, todos os exames do zagueiro Fellipe de Jesus estão válidos. O Guarulhos, clube anterior do atleta, também foi contactado e foi confirmado que era um jogador saudável. 

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top