Cruzeiro

Após empatar com Tombense, Cruzeiro de 2021 se isola como dono do pior início ofensivo da história do clube

Após empatar com Tombense, Cruzeiro de 2021 se isola como dono do pior início ofensivo da história do clube
Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

O empate do Cruzeiro com o Tombense, no Mineirão, por 0 a 0, deixou o time celeste em situação complicada no Campeonato Mineiro, com somente oito pontos conquistados em seis partidas disputadas, somando apenas 44,4% de aproveitamento. Mas essa não foi a única marca negativa que a partida deixou para o time celeste. Com mais uma partida sem marcar, o time de 2021 se isolou como dono do pior início ofensivo dos 100 anos de existência do clube.

Nunca em sua história, o Cruzeiro havia feito menos de seis gols em suas primeiras sete partidas numa temporada. Com base nos dados do ‘O Gol’ e do Almanaque do Cruzeiro, o ENM havia feito um levantamento exclusivo no qual descobriu que o time celeste tinha, até a última partida, o pior início ofensivo da história, mas não de forma isolada. Para ver o primeiro levantamento, clique aqui.

Com cinco bolas na rede em seis jogos, a temporada de 2021 ainda tinha números iguais aos de 1949, 1982 e 1985. Mas, a partir do sétimo jogo, em todos esses anos, o clube ultrapassou a marca dos cinco gols, o que não aconteceu na atual temporada.

NÚMEROS PIORES QUE OS DA TEMPORADA DE ESTREIA

A situação é tão crítica que em 2021, o Cruzeiro teve início pior que os de sua primeira temporada de existência. Em 1921, o então Palestra Itália precisou de apenas dois jogos para chegar aos cinco gols, tendo vencido seus primeiros confrontos, dois 2 a 0 sobre o combinado Villa Nova/Palmeiras e um 3 a 0 sobre o Atlético-MG.

Para saber tudo sobre o Cruzeiro, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Instagram e Facebook.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top