Cruzeiro

Pela primeira vez na temporada, Cruzeiro terá uma sequência de semanas cheias para poder trabalhar

Treino do Cruzeiro realizado nesta manhã, na Toca da Raposa 2 // Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro
Bruno Haddad/Cruzeiro

“Depois de todo trabalho, vem o merecido descanso”. Talvez seja dai a razão pela qual o calendário celeste tenha dado uma diminuída na frequência intensa de jogos. Pela primeira vez na temporada, o Cruzeiro, que tantas vezes protagonizou duas partidas em sete (ou menos) dias, enfim terá uma sequência de confortos apenas nos finais de semana.

Esta série de jogos somente nos sábados e nos domingos começou diante o Pouso Alegre, no dia 18 de abril. A Raposa perdeu para a equipe do interior, mas, depois disso, teve uma semana inteira para se preparar para a decisão do Campeonato Mineiro diante o Patrocinense, no dia 25. Agora, o Cruzeiro terá novamente sete dias de treinamento até o embate diante o América, na semifinal da competição. O jogo de volta ocorre no domingo seguinte (9 de maio), totalizando três jogos em 20 dias.

Com uma semana cheia de trabalho, o Cruzeiro goleou o Patrocinense por 4 a 0, no Mineirão,//  Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro
Com uma semana cheia de trabalho, o Cruzeiro goleou o Patrocinense por 4 a 0, no Mineirão // Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Antes da paralisação do futebol, a equipe estrelada protagonizou seis partidas em 23 dias, o que dá uma pequena média de um embate a cada 3,8 dias. Depois da volta do esporte, a carga horário celeste foi mais apertada ainda. Em 18 dias, o Cruzeiro jogou seis vezes, totalizando uma média de um confronto a cada três dias.

Vale destacar que, após o retorno do futebol, quando Felipe Conceição teve 10 dias para trabalhar (sem jogos), a Raposa melhorou muito o seu desempenho. Antes da pausa, em seis partidas, foram duas vitórias, dois empates e duas derrotas (44% de aproveitamento). Depois do retorno, o Cruzeiro venceu cinco vezes, empatou uma e perdeu outra (76% de aproveitamento).

Para saber tudo sobre o Raposa, siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top