e-Sports

CS:GO: Bravos derrota Sharks e é campeã do CBCS Elite League 2021

Em final disputada neste domingo, 08, a Bravos se tornou campeã da segunda temporada do Circuito Brasileiro de Counter Strike Elite League 2021 ao vencer por 2×1 a equipe da Sharks com direito à overtime no último mapa. Apesar da grande exibição de Zevy, os espartanos se reencontram na série e faturaram dois mil pontos RMR e o prêmio de $7.550 dólares. Com o resultado, a MIBR ainda se mantém em primeiro lugar no ranking RMR da América do Sul e vai se garantindo no PGL Major Estocolmo 2021. Na disputa pelo terceiro lugar do CBCS 2021, a MIBR venceu a Paquetá Gaming por 2×0. 

Após ficar em quarto lugar na primeira temporada do CBCS, a Bravos apresentou uma grande evolução mesmo não realizando bootcamp no exterior e se tornou campeã do último torneio RMR do ano vencendo uma série muito equilibrada e repleta de altos e baixos contra a Sharks. Os mapas disputados foram Nuke (pick da Bravos), Vertigo (Pick da Sharks) e Ancient como mapa de desempate. O primeiro mapa da melhor de três marcou o início da caminhada da Bravos para o título. Após perder o primeiro half por 8×7 do lado terrorista, a equipe mostrou mais consistência no segundo tempo e virou o placar, fechando em 16×10. 

No segundo mapa, a Sharks apresentou um jogo tático superior na Vertigo e não tomou conhecimento do adversário. Com o placar de 16×8, os tubarões empataram a série e jogaram toda a pressão para a Bravos. Na sequência, o mapa desempate foi o mais equilibrado de toda  a série e elevou o nível desta final para as alturas. Começando do lado terrorista, a Bravos conseguiu abrir sete pontos de vantagem e parecia levar o jogo sem muitas dificuldades. Mas durante o oitavo round, a Sharks encontrou os pontos necessários e diminuiu a diferença no placar para 8×7. E foi no segundo half que a Bravos viu o título quase fugir de suas mãos com a Sharks criando vantagem e chegando ao match point, com o placar de 15×11. Pontuando os últimos quatro rounds, a atual campeã da CBCS empatou o mapa e levou para o overtime. Na prorrogação, um “ninja defuse” foi o responsável por colocar o título na mão da Bravos, que apenas administrou a vantagem e venceu por 19×17.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top