Atlético-MG

Cuca assume culpa por derrota no clássico e espera time pronto para a estreia da Libertadores: ‘Pode me cobrar’

Foto: Reprodução / TV Galo

O Atlético saiu derrotado no primeiro clássico do ano contra o Cruzeiro. O Galo entrou em campo como franco favorito pelo excelente elenco que possui, diferente do Cruzeiro que vive a maior crise de sua história. Mesmo assim, o time celeste segurou muito bem o alvinegro e saiu vencedor por 1 a 0. Após a partida, o técnico Cuca analisou o duelo:

— O primeiro tempo foi bastante truncado. Jogo muito faltoso. Cruzeiro matou as jogadas sempre que a gente tentou sair jogando, não é uma coisa ilegal no jogo, mas foi muito truncado muito em função disso. Poucas oportunidades foram criadas. No segundo tempo, quando tínhamos o controle do jogo, jogamos melhor e tivemos a chance clara de gol. É um clássico, por pior que seja o momento de qualquer um dos dois, quando você tem as oportunidades você tem que fazer os gols. Não fizemos, Fábio fez uma grande defesa. (Após o gol) Tentamos jogar a equipe mais a frente, tirando o lateral, tirando os volantes e pondo o time mais encorpado, mas não conseguimos ter a paciência para trocar os passes e infiltrar.

O treinador ainda assumiu toda a culpa pela derrota, tentando isentar os jogadores, dos quais ninguém conseguiu se destacar positivamente:

— O torcedor do Galo deve estar querendo passar pra dentro da TV pra me pegar, e com toda razão, se eu tivesse no lugar dele estaria do mesmo jeito. Por tudo que se criou durante a semana, o favoritismo. E hoje aconteceu ao contrário. Se eu vier aqui e não assumir a culpa desse resultado, não seria eu. A culpa é minha. Se você tem um time que ninguém jogou bem, então não é culpa do jogador, é do treinador.

Cuca ainda destacou que, no campeonato, o Atlético é líder e deve seguir assim até o fim da primeira fase. Para o treinador, a derrota “vai ficar e é horrível”, mas é preciso tirar lições dela. Segundo ele, se o time tiver a mesma atitude em outros jogos, não serão campeões. Cuca ainda ressaltou que a atitude o incomoda muito, que é preciso “trabalhar no limite máximo”, mesmo em uma derrota.

O treinador ainda explicou algumas das alterações que fez na equipe. Para Tchê Tchê, recém-chegado e já titular, o treinador explicou que ele é e será um jogador importante, que chegou na terça (06) e treinou muito bem durante a semana. No fim da partida, o treinador optou pelo zagueiro Igor Rabello ir para o ataque mais uma vez, a explicação foi:

— O adversário está com uma linha da de cinco atrás e mais dois volantes, se você não encontrou o jogo durante a partida toda, você não vai encontrar faltando dois ou três minutos. Então quando o Igor foi a frente faltava isso para acabar o jogo, para ele fazer essa figura da referência.

A maior preocupação do torcedor no momento é a estreia na Libertadores, que acontece daqui há nove dias. Após duas atuações ruins do Galo, Cuca foi perguntado se ele dará garantias que o time estará pronto para a estreia na competição internacional e respondeu de forma sucinta: “Daqui nove dias pode me cobrar se o Atlético não vai estar pronto.”

Siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top