Bahia

Dado reconhece péssima atuação do time, mas já foca no futuro do campeonato: ‘vamos dar a volta por cima nas próximas partidas’

Foto: Felipe Oliveira/ EC Bahia

Dado Cavancanti na entrevista pós jogo reconheceu o má desempenho da equipe e a péssima atuação no segundo tempo que cuminou na derrota por 2×0 para o Sport e que deixou o time na zona de rebaixamento:

“Nada foi ruim, pelo confronto direto contra um adversário que tem as mesmas pretensões que a gente. Talvez pior ainda pelo rendimento do segundo tempo. Primeiro tempo foi bom, a gente teve uma boa construção, a gente conseguiu chegar no gol adversário, estava equilibrado, não sofreu. No segundo, foi um absurdo de ruim. Fizemos um segundo tempo horroroso. Isso traz peso, mas traz também cobranças internas, para que a gente busque mais forças, para que os nossos atletas também se cobrem internamente. Para que a gente consiga entender o que aconteceu hoje. E vamos dar a volta por cima nas próximas partidas. “

O técnico destacou ainda a falta de vontade dos jogadores e a postura que faltou para a equipe:

“Saliento ainda mais o estado anímico da nossa equipe no segundo tempo. Não fizemos um terço, um quarto talvez, do que poderíamos ter feito, do que fizemos no primeiro tempo. E isso foi fundamental para o resultado final do jogo. […] Poucos jogadores hoje colocaram o pé na bola. Poucos jogadores hoje dividiram, poucos disputaram. Isso foi fundamental para o resultado.”

Sobre a diferença entre os tempos do jogo, ele se mostrou extremamente decepcionado e explicou um pouco do que aconteceu na partida para o torcedor tricolor:

O segundo tempo desastroso. Não me lembro de um segundo tempo tão ruim assim em toda a minha vida. Se eu estou com este sentimento de inconformismo, e aqui no vestiário também já houve esse sentimento… Eu avalio muito bem como devem estar se sentindo todos os torcedores que assistiram ao segundo tempo que nós fizemos. É algo que a gente deve buscar as explicações para isso. Porém, é um segundo tempo para nós esquecermos. Voltamos muito desatentos, sofremos uma pressão, não tivemos a eficiência necessária de passar por essa pressão. E não conseguimos sair jogando, que é uma das nossas armas em relação a adversários que enfrentam o Bahia. Fazendo marcação alta, a gente tem a possibilidade de fazer as bolas mais longas, que entraram no primeiro tempo. Só que, no segundo, a gente não foi efetivo nessa função.

O Bahia entra em campo na próxima quinta-feira contra o Corinthians pela rodada atrasada do Brasileirão, na Fonte Nova, às 19h00.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top