Campeonato Brasileiro - Série B

Daniel admite dificuldades do Guarani contra o Sampaio: ‘Limita o espaço’

Daniel admite dificuldades do Guarani contra o Sampaio: 'Limita o espaço'

Daniel Paulista reconheceu que o foco exclusivo do Sampaio Corrêa no sistema defensivo foi um dificultador para Guarani não passar de empate sem gols no Brinco de Ouro da Princesa.

Treinador, em coletiva de imprensa, lamentou erros do Bugre nas finalizações e mostrou certa ‘insatisfação’ com comportamento do adversário.

+ Daniel indica caminho para Guarani furar retrancas: ‘Criar alternativas’

“Dificulta muito você enfrentar uma equipe que joga em 30 ou 40 metros de um campo. Fica somente próximo a sua grande área e isso limita o espaço para o desenvolvimento das jogadas. Como eu disse, eu acho que faltou um pouco de inspiração para todos nós jogadores que participamos ativamente da partida. Talvez, chamar um pouquinho da responsabilidade no último terço do campo, mas faz parte do processo. Em um jogo como o de hoje, onde o adversário dificultou muito esse jogo, a gente ainda tentou e conseguiu criar algumas oportunidades”, analisou o comandante, em entrevista coletiva.

“Infelizmente, nas oportunidades em que tivemos, a gente acabou não tendo o jeito certo de finalizar. Pecamos ali nesse aspecto e pagamos caro por isso no sentido de não ter conseguido fazer uma bola para poder vencer a partida, já que o adversário, ofensivamente, pouco nos prejudicou. A gente conseguiu, sempre quando o adversário tinha posse, roubar logo a posse em uma marcação sempre alta e em uma reação rápida dos nossos atletas. Isso é um ponto positivo que a equipe teve de não deixar o adversário progredir quando recuperava a bola. A gente sempre rápido já tinha novamente a ação do jogo”, prosseguiu.

“Isso foi um ponto extremamente importante para que a gente continuasse sempre atacando, mas é lógico que a gente não conseguiu achar a bola perfeita para poder, talvez, ter saído daqui com a vitória. É mais um jogo importante sem tomar gol. Eu acho que isso é um outro ponto que a gente vai solidificando com o desenvolvimento do trabalho e com o desenvolvimento da competição. É lembrar que a competição é muito difícil e muito competitiva. O adversário também não é à toa que está brigando na parte de cima da tabela”, continuou.

“A gente tem que tirar isso como lição. É continuar trabalhando em cima dos nossos erros e das nossas limitações que existem para que a gente possa estar sempre evoluindo, procurando fazer sempre jogos melhores e seguindo essa trajetória de bons resultados, que é o que vem acontecendo aqui dentro”, completou.

PROBLEMA

Daniel lamentou fato de lesão de Júlio César logo com dez minutos no primeiro tempo e as dificuldades impostas com uma paralisação a menos no Guarani.

“O Júlio (César) se machucou logo no início da partida. É uma lesão muscular aparentemente. Deve ser reavaliado. Eu acho que isso prejudica demais o trabalho do treinador, porque você queima uma etapa de parada. Então, mesmo podendo fazer quatro substituições, só sobram somente duas oportunidades. Então você acaba tendo que pensar em muitas coisas e em muitas possibilidades que podem vir acontecer dentro da partida”, comentou.

“Então você trabalha muito mais no aspecto de imaginar o que vai acontecer e não só no que está acontecendo, porque você fica preso a duas paradas somente no restante da partida. É uma pena mais um jogo mais um jogador lesionado, mas eu tenho certeza de que o quanto antes o nosso Departamento Médico vai estar atuando bem como sempre fez e vai estar recuperando o atleta para que ele já esteja à disposição”, completou.

TABELA

Em terceiro lugar com 23 pontos, Guarani volta a campo pela Série B do Campeonato Brasileiro neste sábado, 24 de julho, diante do Vasco da Gama, em São Januário, no Rio de Janeiro, às 21h.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top