Guarani

Daniel estuda substituto de Júlio César no Guarani: ‘Pensar na estratégia’

Daniel Paulista já estuda o substituto ideal de Júlio César no time titular do Guarani para enfrentar o Vasco da Gama, no próximo sábado, no Rio de Janeiro.

Sem camisa 94, suspenso pelo terceiro cartão amarelo e entregue ao Departamento Médico, Bugre tem, no mínimo, três opções para atuar pela ponta esquerda de ataque.

+ Aos 18 anos, Titi estreia como titular no Guarani e deixa boa impressão

As principais alternativas à disposição do treinador são Andrigo, acionado no empate diante do Sampaio Corrêa ainda no primeiro tempo, Allan Victor, constantemente escalado no setor, ou Pablo, o que obrigaria deslocamento de Bruno Sávio.

“A gente pensa jogo a jogo. Então o pensamento era único e exclusivo no Sampaio. A partir de agora, a gente vai focar a nossa atenção em cima do Vasco e da maneira como o Vasco atua. Vamos aí assistir, principalmente o próximo jogo do Vasco, agora que é o jogo anterior ao nosso do final de semana. Que a gente tenha uma boa estratégia no jogo de sábado. Vamos analisar as características do adversário. Como eu digo, eu acho que o jogo, em determinados jogos, pede uma característica”, disse o comandante, em coletiva de imprensa.

“Quando o Júlio se machucou, o nosso entendimento era de que nós necessitávamos de um jogador de um pouco mais de criatividade, já que o Sampaio marcava de uma maneira individual e a gente poderia tentar desencaixar essa marcação com o Andrigo vindo de fora para dentro nas costas dos volantes. Nós tentamos isso. Em determinados momentos, nós conseguimos até criar boas alternativas. Em outros, o adversário conseguiu nos bloquear. São situações que fazem parte do jogo. Em outros momentos, nós vamos precisar de jogadores que têm um pouco mais de velocidade na transição e um drible em velocidade”, continuou.

“Em outros momentos, nós vamos precisar de atletas também que tenham um melhor toque de bola e defensivamente recomponham, como é o caso do Pablo. Ofensivamente, no termo citado anterior de tentar um jogador no um contra um, nós poderíamos ter o Matheus (Souza) e nós temos até o Allanzinho que entrou hoje. Então nós temos boas opções, mas vamos com calma. Temos tempo para isso e para pensar na melhor estratégia e no melhor substituto para que a gente tenha uma equipe forte em São Januário e possa fazer um bom jogo novamente para que a gente possa nos aproximar de um bom resultado”, completou.

O QUE HOUVE?

Daniel também tentou justificar por que Guarani não conseguiu repetir desempenho apresentado em Aracaju, na goleada em cima do Confiança pelo placar de 4 a 1, no embate com o Sampaio Corrêa.

“Cada jogo é uma história e tem uma estratégia. O adversário também se porta de uma maneira. Em Aracaju, nós enfrentamos um adversário que se jogou para cima da gente. A gente já sabia disso pelo estudo que fazemos dos adversários. A gente tinha que jogar em transição nas oportunidades em que a gente tivesse do jogo. Os gols foram saindo com naturalidade. Isso deu uma facilidade para que a equipe pudesse trabalhar dentro da partida”, relembrou.

“Nós enfrentamos um adversário com uma postura completamente diferente, totalmente defensivo, jogando por uma bola e jogando por uma transição rápida. Dificultou ali nos últimos 30 ou 40 metros do campo. A gente conseguiu criar algumas possibilidades. Infelizmente, não fomos felizes e certeiros nas finalizações para que a pudesse ter saído daqui com a vitória. Vamos em frente. O trabalho segue. Focados aí nos melhores objetivos”, finalizou.

TABELA

Em terceiro lugar com 23 pontos, Guarani volta a campo pela Série B do Campeonato Brasileiro neste sábado, 24 de julho, diante do Vasco da Gama, em São Januário, no Rio de Janeiro, às 21h.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top