Opinião

Diego Armando Maradona Franco: O deus que se explica pelo próprio nome

Diego Armando Maradona Franco
Foto: MARIO LAPORTA/AFP via Getty Images

‘Don’ Diego Armando Maradona Franco, para muitos o maior da história, para os argentinos, uma entidade. Não por acaso, foi fundada em 30 de outubro de 1998 a ‘Igreja Maradoniana’. A religião que se estendeu por Argentina, México e Espanha tem o tetragrama sagrado, D10S, que mistura a palavra em espanhol para Deus (Dios) com o D de Diego e o 10 da sua camisa. O calendário começa a ser contado a partir do nascimento de Maradona, A.D. e D.D. ou seja, Antes de Diego e Depois de Diego. E nesta data, 25 de novembro de 2020, o mundo do futebol terá que viver literalmente o mundo Antes de Diego e Depois de Diego.

Os significados do nome da “santidade” explicam quem ela realmente foi em vida. Diego quer dizer ‘aquele que doutrina’, ‘aquele que ensina’. E assim foi, um verdadeiro doutrinador do futebol, aquele que ensinou ao mundo como vencer uma Copa do Mundo sozinho. O professor da ilusão, que ensinou como ‘ludibriar’ os olhos de quem assistia à final daquele Mundial e não viu ‘La mano de Dios’ em ação.

Armando significa ‘homem do exército’, literalmente o comandante, a referência de mais de 44 milhões de argentinos e de quase 1 milhão de cidadãos napolitanos, que hoje sentem a perda dessa referência, do homem que guiou a seleção ao topo do mundo e que levou o Napoli aos únicos títulos italianos que tem (2) e a uma Copa Uefa.

Deixaremos Maradona para o final e iremos falar do nome ‘menos conhecido’ do craque, Franco – o último deles. Franco significa ‘livre’, a palavra que mais define quem era Maradona, um homem livre, com seus acertos, seus erros e mais do que nunca, vivendo um dia de cada vez, de maneira, livre. Hoje, mais do que nunca, ele está livre, livre de todos os julgamentos possíveis que recebeu, livre para voar e encontrar ‘Dios’.

Por fim, Maradona. Não há definições para Maradona, não tem como categorizar Maradona. Maradona é Deus, e assim como Deus, tinha aliados a seu do lado. Maradona se vai, mas ficam a áurea, as conquistas, os ensinamentos e a santificação.

‘Don’ Diego disse em 1991: ‘Se morrer, quero voltar a nascer e quero ser jogador de futebol. E quero voltar a ser Diego Armando Maradona. Sou um jogador que dei alegria para as pessoas e isso me basta e sobra.’

Vaya con Dios, ‘D10S’.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top