Santos

Diniz destaca evolução do Santos no segundo tempo contra o Bragantino e omissão do VAR: “Está lá para não marcar”

Santos
(Foto: Ivan Storti/Santos FC)

O Santos empatou com o Red Bull Bragantino neste domingo (18). Após ficar atrás no placar duas vezes, o Peixe conseguiu o empate aos 50 minutos do segundo tempo. Após a partida, Fernando Diniz destacou a evolução do time no segundo tempo, após uma primeira etapa desacelerada e a interferência do VAR no resultado do jogo.

QUER FICAR POR DENTRO DE TUDO SOBRE O SANTOS? ENTÃO SIGA O ESPORTE NEWS MUNDO NO TWITTERINSTAGRAM E FACEBOOK. E NÃO SE ESQUEÇA DE SE INSCREVER NO NOSSO CANAL NO YOUTUBE!

“O jogo deve ter sido agradável para quem gosta de futebol. Mas tecnicamente, no primeiro tempo a gente entrou em um ritmo desacelerado, um pouco parecido com o que aconteceu contra o Independiente. No segundo tempo tivemos uma postura mais agressiva, com mais dinâmica e interesse em vencer o jogo. Poderíamos ter feito um primeiro tempo melhor do que fizemos”, disse Fernando Diniz na entrevista coletiva.

“O time ganhou mais mobilidade e intensidade no segundo tempo. Mas não foram apenas as mudança, foi a mudança de todos os jogadores de ter mais interesse em ser mais agressivo”, completou o treinador posteriormente.

Fernando Diniz demonstrou revolta com o VAR novamente. O treinador citou o jogo contra o América, onde não foi marcado um pênalti claro em Madson. Contra o Bragantino, o técnico reclamou da falta de revisão na origem do gol dos mandantes.

LEIA MAIS NOTÍCIAS SOBRE O SANTOS:

+Atuações ENM: Defesa do Santos vacila duas vezes, mas dois Marcos garantem empate contra o BragantinoLeia mais

+Independiente provoca Peixe nas redes sociais após polêmica: “Entendemos a admiração”

+Marcos Leonardo relata superstição com Arzul antes de fazer gol de empate do Santos

“O que me preocupa é a gente fazer uma grande partida lá e sair com o resultado que nos interessa. A equipe hoje não foi bem no primeiro tempo, mas fez um grande segundo tempo. Mas hoje teve a arbitragem também. Não sei para que serve o VAR. Contra o América, fomos superiores no primeiro tempo. No segundo tempo tomamos um gol, tivemos um pênalti super claro e não marcaram. Hoje, tivemos um lance em que o Lucas Evangelista falou dentro do campo que a bola tinha batido na mão dele e foi fácil de apitar. O VAR não tem como não falar, aquilo foi a origem do gol do Bragantino, levou vantagem com a mão. O VAR está lá para não marcar. Hoje, além da gente ter feito um primeiro tempo abaixo do que devia ter feito, a arbitragem foi decisiva mais uma vez contra o Santos”, disse Fernando Diniz.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top