Mercado da bola

Diretoria alinhada, Lisca com moral e Pássaro fortalecido: os bastidores do Vasco na troca relâmpago de treinadores

Lisca e Pássaro Vasco
Foto: Divulgação/Vasco

Com menos de 24 horas após demitir Marcelo Cabo, o Vasco contratou Lisca para o comando da equipe. A rapidez em definir o substituto indica que o comitê gestor do futebol, formado por Jorge Salgado (presidente), Carlos Osório (1º VP geral), Adriando Mendes (VP de finanças) e Alexandre Pássaro (diretor executivo de futebol) está bastante alinhado.

Logo nos primeiros minutos após o comunicado da saída de Marcelo Cabo, decisão tomada pelo presidente Jorge Salgado, Lisca já apareceu como primeira e única opção para assumir o Vasco. A escolha pelo treinador foi unânime dentre os dirigentes, que sonhavam com ele desde o início da atual temporada. Vale lembrar que antes de fechar com Marcelo Cabo, o Vasco tentou a contratação de Lisca, mas o treinador permaneceu no América-MG

Apesar de Marcelo Cabo não ter tido o sucesso esperado, a diretoria possui a convicção de que o perfil profissional está correto e por isso retornou ao plano original, descartando nomes de peso como Dorival Júnior e Vanderlei Luxemburgo. A partir disso, os primeiros contatos foram feitos.

Lisca indicou que estava propenso a aceitar o convite do Vasco, por se tratar de um grande clube. Apenas uma negociação em andamento com um clube dos Emirados Árabes, na qual o treinador não possuía confiança em um desfecho positivo, poderia atrapalhar o acerto. A resposta que confirmou a desconfiança do treinador chegou pela manhã de terça feira, por volta das 9h. O anúncio do acordo com o Vasco aconteceu um pouco depois das 11h.

O acerto foi sacramentado em Porto Alegre, na casa de Lisca. A negociação foi conduzida pelo diretor executivo de futebol, Alexandre Pássaro, que foi ao encontro do treinador na noite de segunda-feira. A negociação foi de fácil resolução, a não ser por uma pequena divergência em relação ao tempo de contrato, que ficou acordado até o fim do ano.

No aspecto financeiro, os termos do contrato firmado com o Lisca, são semelhantes ao vínculo de Marcelo Cabo, que recebia uma variável por metas de desempenho, além de um salário fixo. No entanto, esse valor vai ser um pouco maior para o atual comandante vascaíno.

Na avaliação geral, ambas as partes da que estiveram nas pontas da negociação saíram ganhando. Lisca, que assume efetivamente o elenco na sexta-feira, já conta com grande apoio da maioria dos vascaínos e respaldado pelo comitê gestor do futebol.

Quanto a Alexandre Pássaro, o dirigente ganhou ainda mais moral com Jorge Salgado, que ficou satisfeito com a forma que todas as ações foram executadas, desde a demissão de Marcelo Cabo, sem rusgas e de forma transparente, até a contratação de Lisca, fechada rapidamente e com termos bem razoáveis para o clube. O presidente fez questão de relatar nas redes sociais toda a sua satisfação.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top