Futebol Internacional

Dirigente do Borussia Dortmund reconhece dificuldade para manter Haaland

FOTO: DIVULGAÇÃO / BORUSSIA DORTMUND

O atacante Erling Haaland segue sendo monitorado no mercado de transferências, mas o jogador norueguês não deve deixar o Borussia Dortmund neste momento. De acordo com a imprensa europeia, grandes clubes do futebol europeu já estão se preparando visando uma proposta no início da próxima temporada e, dentre eles, está o Real Madrid. Nesta sexta-feira (07), Hans-Joachim Watzke, CEO do Borussia Dortmund, atualizou a situação do atleta e reconheceu a dificuldade.

O dirigente do clube alemão concedeu entrevista ao jornal “Der Spiegel” e garantiu que a diretoria tem trabalhado para manter o jogador de 21 anos também na próxima temporada. No entanto, Watzke reconheceu a dificuldade que os dirigentes vão encontrar diante de uma série de propostas que Haaland deve receber.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook

— Posso garantir que ele não vai sair agora em janeiro. De jeito nenhum. Quem vai concordar em vencer o melhor atacante do futebol europeu durante o meio da temproada? Não é necessário e não pensamos nisso. Para a próxima temporada será difícil mantê-lo conosco, sabemos disso. Queremos que ele fique e vamos tentar tudo neste sentido — disse o dirigente Hans-Joachim Watzke.

Haaland tem contrato com o Borussia Dortmund até 2024 e, teoricamente, permanece no clube alemão se as propostas por ele forem recusadas, como já aconteceu anteriormente. No entanto, a cada mês que passa, o contrato se aproxima do final e o valor de mercado do norueguês vai diminuindo. O Dortmund não quer perdê-lo de graça ou por um vagor baixo e, por isso, tentará a ampliação do vínculo.

No momento, mesmo que esteja com as finanças equilibradas, o Borussia Dortmund não tem condições de disputar financeiramente com grandes clubes, principalmente o Real Madrid. Assim, Haaland, que também já demonstrou interesse em deixar o clube, fica cada vez mais próximo de deixar o clube alemão.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top