Futebol Internacional

Dirigente do Dortmund diz que clube vai encontrar solução caso Haaland saia

FOTO: DIVULGAÇÃO / BORUSSIA DORTMUND

Faltando exatamente um mês para a abertura da próxima janela de transferências, as atenções se voltam para o atacante Erling Haaland, do Borussia Dortmund. A imprensa europeia acredita que o jogador deve se movimentar e fazer girar uma enorme quantia finaceira. Enquanto isso, o clube alemão tenta convencer Haaland a permanecer. Nesta quarta-feira (01), Hans-Joachim Watzke, CEO do Dortmund, falou à “Sky Germany” sobre a situação do jogador.

De acordo com Watzke, a diretoria tem um plano para fazer Haaland permanecer, mas sabe da dificuldade diante do elevado número de clubes que estão atrás do norueguês. Para tranquilizar a torcida, o CEO do Borussia Dortmund garantiu que o clube encontrará uma saída se Haaland sair em janeiro.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook

— Nós vamos ter algumas conversas nos próximos dias e esperamos que ele fique por mais tempo. Se isso não funcionar, é algo que também precisaremos aceitar. Posso garantir que, se ele sair, encontraremos uma solução. Isso está no DNA do Borussia Dortmund, nós sabemos encontrar e desenvolver jogadores. Acredito que seria ótimo para o Haaland ficar conosco por mais tempo para evoluir ainda mais — disse Watzke.

No começo da atual temporada, o Chelsea, da Inglaterra, chegou a formalizar uma proposta milionária por Haaland, mas a investida foi recusada pelo Borussia Dortmund. No período, a “Sky Germany” garantiu que a oferta chegou a 175 milhões de euros. Desta vez, se uma proposta semelhante chegar à mesa da diretoria do clube alemão, ela deve ser aceita.

Ao mesmo tempo em que Haaland é importante para o Borussia Dortmund em termos técnicos, ele vai baixando o seu valor do mercado a medida em que seu contrato atual se aproxima do final. O vínculo do norueguês com o clube alemão tem validade até junho de 2024. Haaland marcou 14 gols nos 11 jogos que disputou na temporada.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top