Atlético-MG

DM do Atlético-MG: Marrony e Vargas preocupam, Dodô inicia transição e Nacho mostra melhora

DM do Atlético-MG: Marrony e Vargas preocupam, Dodô inicia transição e Nacho mostra melhora
Foto: Pedro Souza/Atlético

Na vitória por 2 a 1contra o Flamengo no Mineirão, o Atlético-MG teve dois motivos para se preocupar. No segundo tempo, Marrony entrou em campo no lugar de Savarino, mas não conseguiu jogar mais que cinco minutos. O atacante fez falta em João Gomes, recebeu cartão amarelo e ainda sofreu uma entorse no joelho direito e teve que sair de carrinho-maca.

Já a segunda preocupação se trata do outro atacante, Eduardo Vargas, que sentiu dor na panturrilha esquerda sem entrar em campo. Após retornar da Copa América, o chileno ficou apenas no banco de reservas diante do Flamengo. O técnico do Atlético-MG, Cuca, explicou que o problema envolvendo o jogador veio ainda de uma partida pela Seleção do Chile. Marrony e Vargas farão exames nesta quinta-feira (8) para produzir um diagnóstico mais preciso.

Por outro lado, outros dois jogadores do Atlético-MG apresentaram melhoras antes do tempo esperado. Dodô se recuperou de lesão muscular na coxa, sofrida ainda na vitória contra o Internacional no dia 16 do mês de junho, e iniciou o trabalho de transição. Portanto, há a expectativa de que o lateral-esquerdo fique disponível para enfrentar o Boca Juniors, já que Guilherme Arana se apresenta à Seleção Olímpica nesta quinta-feira.

Para ficar informado sobre tudo que acontece com o Atlético-MG siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.

Além de Dodô, Nacho Fernández, que também sofreu lesão na coxa esquerda, já apresenta sinais de melhora e pode ter um retorno antes do previsto. A lesão do argentino é de menor gravidade comparada com a do lateral-esquerdo e o meia já está na fisioterapia (assim como Keno). Existe uma expectativa tanto da torcida do Atlético-MG, do jogador quanto do técnico Cuca do ‘cérebro’ da equipe retornar para o jogo contra o Boca Juniors que acontece na próxima terça-feira (13), no La Bombonera, pelas oitavas de final da Copa Libertadores.

– Estou otimista. O Nacho… Estou otimista, lógico que uma lesão muscular é sempre um perigo e mesmo você estando otimista, são dez dias que o jogador não treina. Então, a gente tem que medir tudo isso, junto com o jogador, junto com a fisiologia, preparação física, pra ver os riscos que você tem, o que que vale a pena, se é lá, se é esperar a volta, isso a gente vai resolvendo aí dia a dia – disse Cuca ao final do jogo contra o Flamengo.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top