Futebol americano

Dono do New York Jets é investigado por racismo

Divulgação/New York Jets

O dono do New York Jets, Woody Johnson, está sendo investigado pelo Departamento de Estado dos EUA, por conta de comentários racistas e misóginos. Johnson também é o embaixador do país na Inglaterra e aliado do presidente Donald Trump.

De acordo com à CNN americana, as falas ocorreram na presença de alguns diplomatas do gabinete do embaixador, que o denunciaram. Segundo às fontes, Johnson não queria comparecer a uma celebração do mês da história negra, em 2018. O embaixador ficou nervoso e chegou a perguntar se haveria “um monte de negros” na audiência do evento.

As acusações também apontam para falas misóginas de Johnson sobre as roupas das funcionárias da embaixada. O dono dos Jets teria se recusado a participar da comemoração oficial do Dia Internacional da Mulher.

Além disso, ele também é investigado por dizer que usaria sua posição na embaixada americana para favorecer os negócios pessoais de Donald Trump na Inglaterra.

GESTÃO FRACASSADA DE JOHNSON

Johson, de 73 anos, é dono do New York Jets desde 2000 e foi nomeado embaixador por Trump em 2017. Nas últimas vinte temporadas, a equipe não conseguiu chegar no Super Bowl nenhuma vez e não se classifica para os playoffs há nove anos. Em 2019, a franquia teve sete vitórias e nove derrotas e ficou de fora da pós-temporada da NFL.

Estádio do New York Jets, o MetLife Stadium.
Créditos: Facebook/New York Jets
1 Comment

1 Comment

  1. Pingback: Jamal Adams acerta troca para o Seattle Seahawks

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top