São Paulo

“Iria até de graça”, diz Dudu Beberibe sobre jogar no São Paulo

Reprodução / SPFC TV

O nome de Dudu Beberibe nunca foi tão falado como agora. O atacante do 4 de Julho, que enfrentou o São Paulo pela Copa do Brasil, fez o gol de honra do time de Piripiri-PI, no Morumbi. Após o jogo, ele revelou ser são-paulino fanático e ganhou o apoio de muitos tricolores.

Com a dificuldade do atual São Paulo em consolidar um atacante e a constante crítica de parcela da torcida ao artilheiro do time, Pablo, seja por meme ou por desejo real, muitos torcedores passaram a pedir Dudu Beberibe no time paulista. Em live com o publicitário Daniel Perrone e com o torcedor Raphael Castello, o atacante foi perguntado sobre essa movimentação.

“Se um dia o São Paulo chegar a fazer uma proposta pra mim, um convite, eu iria até de graça. Quem ama o São Paulo, a gente sabe como é que funciona a paixão, a gente sabe como funciona o amor. Imagine com contrato, com salário todo mês, com produtividade. A gente que ama sabe o que corre nas nossas veias”, confessou o atacante, que pelo 4 de Julho tem 28 jogos e oito gols. “Eu até agora não acredito no que eu tô vivendo. Eu não sei nem se eu sou merecedor de tanta glória na minha vida… Era uma coisa que eu sonhava, conhecer o Morumbi, como torcedor, não jogar no Morumbi. Eu pensava um dia conhecer, torcer pelo São Paulo dessa forma, mas Deus me deu essa benção de jogar e fazer um gol lá”.

Os torcedores fizeram até uma montagem do jogador, que ao ver a imagem exclamou: “Meu Deus do céu, seria um sonho!”.

+ Pelo Instagram, Thiago Mendes diz sim para volta ao São Paulo
+ 5ª força? São Paulo é o único Paulista vivo em todas as competições
+ Especulado no São Paulo, Ivan foi reserva de Perri na base

Dudu Beberibe é são-paulino fanático e contou na live que a paixão tricolor foi totalmente herdada do pai, que segundo dizem, era bom de bola no seu tempo áureo.

“Meu pai foi jogador, não profissional, mas as pessoas dizem que ele tinha muita qualidade e poderia ter sido um profissional renomado. Ele me contava muitas histórias do São Paulo, na época dele, com Serginho Chulapa, ele é são-paulino doente, como a gente costuma dizer”, revelou o camisa 9 do 4 de Julho. “A pessoa que ele mais falava era o Telê Santana, que ele chama de Mestre e até hoje é chamado por todos assim. Aí ele foi me contando vários anos, até em 2005, quando eu já conseguia entender melhor as coisas e vi o título mundial”.

O atacante não poupou detalhes da comemoração desse título histórico e contou que saiu gritando na rua, comemorando o gol de Mineiro, que deu o terceiro mundial para o São Paulo.

“Eu tava sozinho na janela de casa, eu lembro, eu molequezinho, sentado na janela de casa, vendo o jogo de manhã”, controu Dudu Beberibe, que em 2005 tinha apenas 13 anos. “Quando o Mineiro fez o gol, eu sai gritando pela rua, respeita o São Paulo”.

Dudu falou que não só o pai, mas a família toda é são-paulina, menos uma irmã, que pulou para um time rival e mesmo ela não conteve as lágrimas após a partida de Dudu no Morumbi, um sonho realizado para o atacante e todos os familiares.

“Ela me mandou um audio chorando, mas não pelo 4 de Julho ter perdido a partida, mas por eu ter realizado esse sonho de fazer um gol no Morumbi. Na hora que ouvi o áudio, cheguei a chorar também por conta disso”, comentou Dudu.

Dudu Beberibe tem 28 anos e é um dos destaques da equipe de Piripiri-PI, que apesar da derrota por 9 a 1 para o tricolor, fez história ao eliminar Confiança-SE e o Cuiabá, um time de Série B e outro de Série A do Brasileirão. O 4 de Julho disputa a Série D e é um grande candidato ao acesso.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top