Cruzeiro

Eduardo Brock fala da saída de Mozart do Cruzeiro: ‘Os resultados não foram compatíveis com o trabalho’

Eduardo Brock fala da saída de Mozart do Cruzeiro: 'Os resultados não foram compatíveis com o trabalho'

Na manhã deste sábado (31), Eduardo Brock concedeu entrevista na Toca da Raposa. O zagueiro comentou o empate do Cruzeiro com o Londrina, pela Série B, e a saída de Mozart do comando técnico do clube. Confira as principais declarações do defensor:

O que faltou para vencer o Londrina?

— Faltou o terceiro gol, né. Acho que ficou claro que poderíamos ter saído vitoriosos, pelo o que a gente desempenhou no jogo mesmo, em situações de gol, em oportunidades que acabamos não concretizando em gol. Infelizmente estamos vivendo uma fase onde temos que fazer muita força para essa bola entrar. E a gente tá em busca disso. Eu acho que o trabalho tá sendo feito da melhor forma possível, com todo mundo se dedicando ao máximo. E foi isso que deu pra ver no jogo ontem. Foi uma atuação, principalmente no segundo tempo, muito boa da equipe. Porém não conseguimos transformar nos gols que necessitávamos. Obviamente cometemos erros, né, tomamos dois gols. Mas são coisas que a gente precisa logo finalizar. Não podemos tomar dois gols estando vencendo. É preciso saber jogar quando se está vencendo uma partida. Fica a tristeza por não ter vencido, mais um jogo que passamos sem vitória, mas, me apegando ao lado positivo, a equipe se demonstrou muito bem no jogo, criando várias oportunidades, porém não transformou em gols.

Leia também: Especulado no Cruzeiro, Vanderlei Luxemburgo tem longo histórico no clube; relembre passagens

Saída de Mozart do Cruzeiro

— Primeiramente, agradecer ao Mozart por muita coisa boa que ele fez aqui. É um cara muito humilde, um treinador de extrema qualidade. Infelizmente os resultados não foram compatíveis com o trabalho dele, do nosso dia a dia de treinamentos, mas com certeza ele conseguiu trazer muita coisa boa. Agora é o grupo abraçar o treinador que vier. O grupo está com esperança, é claro que há sempre uma troca de espírito quando há uma troca de treinador. Mas o mais importante é a gente se abraçar, o grupo abraçar o próximo treinador, as ideias do próximo treinador, e transformar isso em resultado, conseguindo levar isso pra dentro de campo. Eu tenho certeza que o comandante que for vir vai nos ajudar bastante e vai ser uma boa opção que o Cruzeiro vai ter agora. Que a gente mude essa história do campeonato.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top