Corinthians

Em baixa, meias do Corinthians devem perder ainda mais espaço com a chegada de reforços

Araos atuando pelo Corinthians
Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Depois de fechar a contratação de Giuliano na última sexta-feira (16) e com o iminente retorno de Renato Augusto ao Parque São Jorge, o meio-campo do time comandando por Sylvinho ganha reforços que irão ajudar a elevar o patamar de atuações do setor, não só pela qualidade dos atletas, mas também pela fase pouco produtiva dos jogadores que estão à disposição no momento.

Contando atualmente com quatro nomes considerados meias ofensivos — Gustavo Mantuan e Ruan Oliveira ainda se recuperam de cirurgias no joelho — todos esses atletas não possuem o status de titulares e tão pouco vêm contribuindo para a produção ofensiva do Corinthians, seja com gols ou assistências.

O nome mais badalado no elenco que atua nesta faixa do campo é Luan, que possui números tímidos desde a chegada de Sylvinho ao Timão. O camisa 7 alvinegro atuou em 7 partidas no Brasileirão, sendo 4 delas como titular, e não conseguiu participar diretamente de nenhum gol, por vezes atuando também como o jogador mais avançado e centralizado no ataque.

Luan não participa diretamente de um gol desde 20 de maio, no duelo contra o Sport Huancayo-PER, pela Copa Sul-Americana
Luan não participa diretamente de um gol desde 20 de maio, no duelo contra o Sport Huancayo-PER, pela Copa Sul-Americana – Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook.

Outro nome que seria um esperança para dar criatividade à armação da equipe é Ángelo Araos. Com 9 participações em jogos do campeonato nacional, mas atuando diversas vezes “fora de posição”, deslocado para o lado esquerdo do ataque, o chileno também não conseguiu agregar com gols ou assistências em 12 rodadas.

Contrato em 2018, Araos ainda não conseguiu se firmar no Timão
Contrato em 2018, Araos ainda não conseguiu se firmar no Corinthians – Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians

“Correndo por fora” na disputa por um lugar no time, os jovens Adson e Gabriel Pereira são outras duas opções para servir os atacantes corinthianos. Porém, da mesma forma que seus companheiros, e ainda prejudicados na competição por atuaram em um número consideravelmente menor de minutos no Brasileirão — o primeiro entrou no decorrer de 3 jogos enquanto o segundo ainda não estreou no torneio —, não conseguiram contribuir para a produção ofensiva do Alvinegro paulista.

Após dar duas assistências no confronto contra o Sport Huancayo-PER, pela Copa Sul-Americana, Adson perdeu espaço no time de Sylvinho
Após dar duas assistências no confronto contra o Sport Huancayo-PER, pela Copa Sul-Americana, Adson perdeu espaço no time de Sylvinho – Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians

A quinta opção de meia ofensivo que Sylvinho teria à sua disposição é Vitinho, que diferente dos outros atletas recém-integrados aos profissionais, vem recebendo oportunidades entre os titulares, mas em uma outra posição.

Com grandes atribuições defensivas, o camisa 43 atua em uma faixa do campo que pode ser definida mais precisamente como um segundo volante. Nomenclaturas à parte, assim como os outros nomes citados acima, ofensivamente Vitinho ainda não conseguiu contribuir com gols ou assistências em 8 jogos pelo Brasileirão, sendo titular em seis dessas oportunidades.

Gabriel Pereira entrou em campo pela última vez contra o River Plate-PAR, pela Copa Sul-Americana - Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians
Gabriel Pereira entrou em campo pela última vez contra o River Plate-PAR, pela Copa Sul-Americana – Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians

O sistema tático prejudica?

Desde que chegou ao Timão, Sylvinho implantou um sistema tático que se porta em campo uma linha de quatro defensores, três meio-campistas, dois pontas e um atacante avançado.

Esse esquema, assim como já citado, arma o time com um meio-campo formado por um atleta mais recuado para auxiliar na saída de bola — majoritariamente Cantillo — e dois homens um pouco mais avançados, com atribuições de armação e marcação, papéis feitos ultimamente por Gabriel, Roni ou Vitinho.

Apesar de ter sido titular em seis dos últimos sete jogos, Vitinho ainda não marcou seu primeiro gol, ou deu sua primeira assistência, como profissional
Apesar de ter sido titular em seis dos últimos sete jogos, Vitinho ainda não marcou seu primeiro gol, ou deu sua primeira assistência, como profissional – Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Assim, não há uma figura de armador centralizado, com pouca obrigação para ajudar na recomposição da equipe, que seria a “posição mais confortável” para Giuliano, Renato Augusto ou um dos nomes citados anteriormente atuarem.

Porém, além de Sylvinho não dar indícios de que planeja mudar a composição do time uma vez que o Corinthians vêm em conseguindo manter um bom desempenho defensivo — possui a melhor defesa do campeonato ao lado do Atlético-MG, com 9 gols sofridos —, Giuliano, no Al-Nassr, sua penúltima equipe, e Renato Augusto, no próprio Timão, já mostraram que podem ajudar na defesa e ainda contribuírem com passes para seus companheiros marcarem e também irem às redes.

E isso indica que o desembarque da dupla, logo de cara, deve ter um impacto na produção ofensiva do time dado que, além de fornecerem uma alternativa aos atletas em baixa que o comandante corinthiano têm à sua disposição, eles podem se encaixar melhor no esquema tático escolhido para que o Alvinegro paulista tente bater seus adversários neste Brasileirão.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top