Fluminense

Em coletiva, Fred decreta o Flamengo como o principal rival do clube e ressalta importância dos próximos jogos na briga pela vaga na Libertadores

FOTO DE MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC

Na manhã desta terça-feira (5), o atacante e renomado artilheiro Fred concedeu uma entrevista coletiva por videoconferência, no CT Carlos Castilho, no Rio de Janeiro. O camisa 9 respondeu perguntas sobre seu desempenho, a luta pela vaga na Libertadores da América e projetou os próximos confrontos, principalmente contra o que ele disse ser o maior rival do Fluminense, o Flamengo:

– Vai ser um clássico difícil, a gente sabe das qualidades da equipe do Flamengo, mas acho que a gente consegue também enxergar alguns pontos que a gente pode sobressair nesse clássico. A gente está acompanhando alguns jogos, vendo e analisando as nossas qualidades também. A gente sabe que a gente pode conseguir fazer um grande jogo e sair vitorioso; o que a gente vai ter que fazer, pra ganhar não só o Flamengo, mas das grandes equipes que estão lá em cima, é se defender muito bem, ter a humildade de grande, de saber defender bem, mas quando tiver a bola impor o máximo possível pra fazer a equipe adversária correr atrás da gente e a gente poder criar as nossas jogadas, fazer nos nossos gols para sair vitorioso.

Fred também destacou a importância de um clássico de proporções grandes como o Fla Flu, ainda mais nesse momento da temporada, decisivo para as duas equipes:

– O Fla Flu pra gente aqui é o maior jogo, o maior clássico nosso, nós temos mais dois grandes adversários que é o Botafogo e Vasco, mas esse é o mais esperado, principalmente quando tinha torcida. Então, era o que mais mexia com a nossa torcida e se naturalmente mexe mais com a nosso torcedor, a gente sabe que representa mais pro clube, devido aos confrontos e a rivalidade. Então, pra mim eu também classifico como o maior clássico nosso aqui no Rio de Janeiro.

CONFIRA OUTROS TECHOS DA COLETIVA

Próximos confrontos e objetivos da equipe

-É início de ano mas é fim de temporada né. Igual eu falei no início, na primeira pergunta disse que pra mim vão ser os onze jogos mais difíceis pra todas as equipes do Brasileirão. Acho que a gente tem que projetar, primeiramente é quebrar essa sequência ruim que a gente está vindo, de empates e derrota, a gente tem que quebrar essa sequência ruim com um bom resultado, a gente precisa dessa vitória, a gente está olhando ali pra cima. Vendo que com a copa do Brasil existe a possibilidade e também da Libertadores do G6 virar G7 OU G8, então nós temos nosso objetivo que são analisando o geral.

Marcão fora da beira dos gramados nos próximos jogos, por conta da Covid-19

– Quando eu pisei no CT ontem eu recebi essa notícia que foi uma bomba pra gente porque o Marcão é um cara que desde que assumiu tem orientado bastante, tem falado, colocado as características dele. Tentando manter o que foi construído pelo Odair também, mas a gente perde essa liderança, perde essa referência ali fora. O bom é que a gente tem aqui o Ailton que a gente já tem intimidade, tem um linguajar com a gente que é como se fosse o Marcão, mas sem dúvida nenhuma é uma perca muito grande o Marcão pra gente e o que eu conversei com os jogadores é que a gente tem que liderar um pouco a mais também.

Elenco com jogadores acima dos 30 anos e muitos jovens da base

– A gente tem essa mescla aqui né, isso acaba ajudando um ao outro. Eu me sinto dependente dos jogadores mais jovens e os mais jovens também a gente pode colaborar com eles.

– A gente na hora que entra em campo, todo mundo tem a sua responsabilidade, todo mundo tem que correr, todo mundo tem que marcar, todo mundo é responsável pelos acertos e pelos erros. A gente vai ser cobrado independente de idade, ninguém tem o benefício nenhum com a história, com a idade, com experiência. Entrou lá dentro, a gente se cobra igualmente, então vamos se cobrar pra recuperarmos essa vitória o quanto antes e somar nessa competição o quanto antes para buscar essa vaga nessa libertadores que a gente tanto almeja.

Desempenho após lesões

– Eu me sinto bem hoje. De um tempo pra cá eu estou conseguindo treinar bem, estou conseguindo ter um pouco mais de ritmo e de força, criar situações aí no jogo para fazer gols ou colocar meus companheiros em situações de fazer gols. Eu achava que era um processo natural porque eu fiquei treinando lá na roça, na fazenda, quase cinco meses, então isso com certeza ia demandar um pouco de tempo. Mas assim, eu estou me cuidando bem, estou me sentindo bem, acho que o momento é de todo mundo estar se preparando porque essas onze últimas rodadas vão ser mais difíceis.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top