Botafogo

Pouco inspirado, Botafogo não tira o zero do placar contra o Nova Iguaçu pela semifinal da Taça Rio

Foto: Vitor Silva/Botafogo

Ainda na fase de ajustes e com foco maior na Série B, o Botafogo foi a campo neste domingo contra o Nova Iguaçu visando maior entrosamento da equipe para sequência na temporada, mas aproveitando ainda a possibilidade de título com a disputa da Taça Rio. Mas o que se viu em campo foi mais do mesmo apresentado até aqui pelo time comandado por Marcelo Chamusca. Com um meio-campo sem inspiração e um ataque desentrosado, o Alvinegro não saiu do zero jogando no Nilton Santos pela primeira partida da semifinal.

E justamente por jogar o primeiro jogo em casa, o Botafogo precisava da vitória para se colocar em vantagem na disputa por uma vaga na final da Taça Rio. Por ter ficado em posição abaixo do Nova Iguaçu, o Alvinegro agora tem que vencer a partida de volta caso queira se manter vivo no ‘prêmio’ de consolação do Carioca, já que o adversário tem o benefício do empate.

O que se pode constatar no Nilton Santos é que o tempo passa e o trabalho de Marcelo Chamusca ainda caminha há passos lentos, mesmo dois meses passados do comandante no clube. A equipe ainda não apresenta um repertório ofensivo capaz de envolver os adversários e peca demais na produção ofensiva, principalmente na hora de finalizar. O sinal de alerta da torcida alvinegra segue ligado e temeroso em relação ao futuro do time na Série B deste ano.

No próximo domingo (09), Botafogo e Nova Iguaçu se enfrentam mais uma vez, de novo no Nilton Santos, para definir quem avança para final da Taça Rio para enfrentar Vasco ou Madureira.

Primeiro tempo

Durante os primeiros 45 minutos o Botafogo teve mais a posse, mas não conseguia produzir quase nada com ela. Muito por conta da escalação que Chamusca entrou em campo, 3 volantes compunham o setor de meio campo, assim, o time ficou muito pouco inventivo por esse setor e precisou atacar mais pelos lados. Na primeira etapa o lado esquerdo foi o mais acionado, mas pouco deu resultado, já que o Nova Iguaçu marcava muito bem os flancos do campo, não deixando o alvinegro criar.

Segundo tempo

Para a segunda etapa Chamusca voltou com Marcinho no lugar de Rickson, com objetivo de ser o armador da equipe e dar mais dinâmica ao setor. Mas não surtiu muito efeito, tanto que o Nova Iguaçu foi superior nos 20 minutos iniciais até a parada técnica, inclusive, criando a melhor oportunidade da partida, em cabeçada de Anderson Künzel, obrigando Douglas Borges a fazer grande defesa. Depois da parada o jogo teve um ritmo parecido com o da primeira etapa, o alvinegro teve a bola mas continuou com muita dificuldade de criar jogadas e agredir o adversário.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 0 X 0 NOVA IGUAÇU
Dia: 02/05/2021
Hora: 18h (de Brasília)
Local: Estádio Nilton Santos
Árbitra: Rejane Caetano da Silva
Cartões amarelos: Pedro Castro e Rickson (Botafogo); Anderson Künzel, Abuda e Gabriel (Nova Iguaçu)

Botafogo: Douglas Borges; Jonathan (Warley), Kanu, Sousa e Paulo Victor; Rickson (Marcinho), Pedro Castro (Romildo) e Matheus Frizzo; Felipe Ferreira (Ênio), Marco Antônio (Ronald) e Matheus Nascimento. Técnico: Marcelo Chamusca.

Nova Iguaçu: Luis Henrique; André Santos, Leonardo, Rafinha e Mezenga; Abuda, Vandinho (Riquelme), Anderson Künzel (Andrey) e Dieguinho (Gabriel); Yan (João Pedro) e Luã (Canela). Técnico: Carlos Vitor

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top