Ponte Preta

Fábio Moreno mira fim de tabu de nove anos na Ponte Preta; saiba qual é

Fábio Moreno tem chance de quebrar jejum de nove anos na Ponte Preta
Crédito: Álvaro Júnior / AA Ponte Preta

Aposta da diretoria para disputa do Campeonato Paulista, Fábio Moreno desafia tabu de nove anos no Estádio Moisés Lucarelli: tornar-se o primeiro treinador na Ponte Preta, depois de 2011, a iniciar e encerrar os trabalhos à frente do elenco na mesma temporada.

O último técnico a alcançar tal feito foi Gilson Kleina, no início da década de 2010, logo na primeira passagem pela Alvinegra.

+ Vai voltar? Moreno elogia Fellipe Bastos na Ponte Preta: ‘Um cara nota mil’

Na ocasião, o paranaense foi o responsável por conduzir o elenco ao acesso na Série B do Campeonato Brasileiro, com o terceiro lugar e 63 pontos.

A estreia aconteceu em 16 de janeiro de 2011, em derrota diante do Mirassol, pelo placar de 2 a 1, fora de casa, na abertura do Estadual.

Durante esse período, chegou às quartas de final do Paulistão de 2011 e à semifinal do Estadual de 2012.

Outra campanha positiva na trajetória inicial de Kleina pelo Majestoso foi na Copa do Brasil de 2012, com eliminação nas oitavas de final – no fim, aceitou oferta do Palmeiras no segundo semestre e despediu-se de Campinas com 115 jogos, 48 vitórias, 32 empates e 35 derrotas.

A diretoria, na época presidida por Márcio Della Volpe, apostou na contratação de Guto Ferreira até o fim de 2012.

“A minha vida toda foi voltada para o futebol. Eu já passei por alguns setores do futebol. Eu comecei lá embaixo. Eu tenho comigo uma missão de valorizar todos os profissionais que integram o departamento, porque eu sei bem que quem faz as coisas acontecer não é quem está ali na ponta da lança e com a luz na cabeça. São todos os outros que integram o departamento e que trabalha no dia a dia e que dão a condição para que o treinador faça o seu trabalho”, comentou Moreno, em entrevista à Rádio Central de Campinas.

“Então eu, por conta da minha formação toda no futebol, procuro valorizar muito isso. Eu acho que me preparei, fiz cursos, sou formado na Unicamp e pós-graduado. Fiz o curso da CBF de treinador, estágio em todo lugar e tive a oportunidade de trabalhar dez com o Abel Braga. Isso daí, para mim, além da referência óbvia do meu pai, que eu tive o privilégio de nascer nessa família e poder acompanhar o trabalho dele, o Abel é grande referência minha profissional. Ter a oportunidade de frequentar dez anos o vestiário de um cara multicampeão”, emendou.

ROTAÇÃO

De lá para cá, Macaca não conseguiu dar sequência a um trabalho de forma tão longeva e amargou contratações e demissões de técnicos até o fim de 2020.

Nos nove últimos anos, 14 treinadores distintos foram escolhidos para comandar a Ponte Preta – alguns, inclusive, em mais da uma oportunidade -, mas nenhum alcançou o êxito de seguir no cargo do primeiro ao último compromisso oficial da temporada.

RELEMBRE OS TÉCNICOS DA PONTE PRETA EM CADA TEMPORADA:

• 2012: Gilson Kleina e Guto Ferreira

• 2013: Guto Ferreira, Paulo César Carpegiani e Jorginho

• 2014: Sidney Moraes, Oswaldo Alvarez e Guto Ferreira

• 2015: Guto Ferreira, Doriva e Felipe Moreira

• 2016: Vinícius Eutrópio, Alexandre Gallo e Eduardo Baptista

• 2017: Felipe Moreira, João Brigatti, Gilson Kleina e Eduardo Baptista

• 2018: Eduardo Baptista, João Brigatti, Doriva, João Brigatti, Marcelo Chamusca e Gilson Kleina

• 2019: Mazola Júnior, Jorginho e Gilson Kleina

• 2020: Gilson Kleina, João Brigatti, Marcelo Oliveira e Fábio Moreno

A fonte do balanço é Stephan Campineiro, jornalista e pesquisador.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top