Cruzeiro

Felipão crítica arbitragem, desvia sobre permanência no Cruzeiro e pede maior segurança na próxima temporada

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

O técnico do Cruzeiro, Luiz Felipe Scolari, concedeu entrevista coletiva, nesta sexta-feira (8), após a vitória do Cruzeiro, por 1 a 0, sobre o Sampaio Corrêa, no Castelão de São Luís, no Maranhão, pela 33ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Ao ser perguntando sobre o planejamento para a temporada de 2021, Felipão desconversou sobre sua permanência no clube e atribuiu ares de resolução à conversa com o novo diretor de futebol da Raposa, André Mazzuco. 

– Primeiro tenho que encontrar com o Mazzuco, sentar e definir algumas situações, principalmente que estou vivendo no Cruzeiro. Que o Cruzeiro vive atualmente, situações que ele como diretor de futebol, então, terá que dar uma segurança muito maior e uma série de perguntas que a gente vai fazer a ele. Colocar uma série de nomes para contratações, três, quatro cinco nomes para contratações para o ano que vem, como vamos fazer uma pré-temporada. E ouvir dele o que ele tem para dizer. Depois, vamos aos poucos, adaptando, conversando, até o fim do campeonato para ver o que vai acontecer – falou. 

ARBITRAGEM, EXPULSÃO…  

Felipão criticou a arbitragem do jogo, que expulsou William Pottker ainda no início do segundo tempo por reclamação e Giovanni Piccolomo, também por reclamação, já fora de campo após ser substituído. Segundo o comandante celeste, ele não sabe bem o que ocorreu, mas considera importante que medidas sejam tomadas junto a CBF para que nas próximas edições, o Cruzeiro, bem como todos os demais competidores, tenham “tranquilidade” para trabalhar e jogar. 

–  Preocupa a expulsão dos dois, preocupa a forma como estão sendo colocados árbitros nessa Série B. Não sei se estão a par ou se são experimentos da CBF. Não sei. Esperar para ver a definição no final do campeonato, provavelmente eu também vá me posicionar com algumas considerações em torno de arbitragem e situações que o Cruzeiro pode e deve agir, porque, se não, terá sempre muito mais dificuldades que as outras equipes. Acho que o árbitro estava um pouco inseguro no lance, por exemplo, da expulsão do Pottker, em que o Pottker fala com ele que ele não apita corretamente por causa de que ele não tem qualidade para apitar corretamente. Aí o árbitro expulsa como se fosse uma coisa normal a expulsão. O quatro árbitro expulsa o Giovanni porque o Giovanni reclama de uma falta quando está fora de campo. Um pouco estranho, mas é assim, são, quem sabe, colocações que são feitas de árbitros mais novos. Não era esse que ia apitar o jogo, era um outro, então, não sei, não posso falar nada, não vou ficar discutindo também, porque vamos esperar terminar a Série B e aí a gente tem que fazer as considerações que tem que fazer para que no ano que vem (2021) possamos ter uma arbitragem melhor e todos possam sair tranquilos de qualquer jogo –, declarou. 

De acordo com o árbitro da partida, Paulo Henrique Schleich Vollkopf (AB / MS), os jogadores foram expulsos pelos seguintes motivos, conforme relatado em súmula:

POTTKER (segundo cartão amarelo): Motivo: V2.8. Outro motivo (detalhar no campo expulsões) – Aos 06 minutos do 2 tempo, expulsei após advertir com o segundo cartão amarelo, o jogador de n: 11, o sr; william de oliveira pottker, da equipe cruzeiro esporte clube, por reclamar de forma ostensiva e grosseira contra as decisões da arbitragem dizendo as seguintes palavras “vocês são muito ruins, vocês são muito ruins, seus árbitros ruins”. Após a expulsão o mesmo saiu do campo de jogo normalmente.

PICCOLOMO (cartão vermelho direto): Motivo: V2.8. Outro motivo (detalhar no campo expulsões) – Aos 15 minutos do 2 tempo, expulsei diretamente do banco de reservas o jogador de n: 94, o sr; giovanni piccolomo, da equipe cruzeiro esporte clube, ao ser informado pelo 4o arbitro que o jogador reclamou de forma ofensiva e grosseira contra as decisões da arbitragem dizendo as seguintes palavras: “vai tomar no seu cú caralho, aqui não é base não porra” Após a expulsão, o jogador deixou normalmente o banco de reservas e se dirigiu ao vestiário.

Para além disso, Felipão destacou a ausência de Pottker no decorrer da partida. De acordo com o treinador, ficar com um a menos foi muito prejudicial para o Cruzeiro, que até aquele momento, além da vantagem no placar, tinha o domínio da partida. 

– Nós tínhamos um jogo completamente equilibrado, passamos a ficar desequilibrados em número de jogadores e passamos a fazer uma colocação muito boa, tivemos um posicionamento que nos obrigou em um desdobramento de posições que os jogadores faziam dentro de campo que não precisava quando tínhamos os 11, mas demonstrou com a saída do Pottker que os jogadores do Cruzeiro têm um espírito de boa vontade, dedicação, de colocação, que a parte tática está sendo bem trabalhada com eles, se colocaram muito bem, e sempre com um a menos, em 45, 50 minutos, é sempre mais difícil. Mas agora vamos pensar em ficar tranquilos com essa vitória e conversar com o nosso grupo sobre uma série de coisas que não poderão acontecer enquanto estivermos aqui –, destacou Felipão, que elogiou o posicionamento da Raposa no momento de desequilíbrio, mas frisou a necessidade de ajustes. 

LIVRE DA DEGOLA? 

Felipão comentou, ainda, sobre os três pontos conquistados e a possível tranquilidade na tabela de classificação. Segundo ele, o Cruzeiro ainda não está totalmente livre da Série C.

– Acredito que livre totalmente não, porque ainda temos cinco rodadas. Mas, possivelmente, com os três pontos de hoje, a gente tenha ficado aí com 95%, 98% com tranquilidade para seguirmos na Série B –, disse. 

Para saber tudo sobre o Cruzeiro, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Instagram e Facebook

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top