Cruzeiro

Felipão projeta trabalho no setor criativo com o atual plantel: ‘Não espero novos reforços’

Felipão projeta trabalho no setor criativo com o atual plantel: 'Não espero novos reforços'
Foto: Bruno Haddad / Cruzeiro

O Cruzeiro empatou com o Figueirense na noite dessa sexta-feira (20), em 1 a 1, no estádio Mineirão. Com o resultado, a Raposa se mantém invicta sob o comando do Felipão, com três vitórias e três empates, mas não sobe na tabela de classificação. O comandante celeste, em entrevista coletiva após o jogo, foi bem claro em definir que o projeto do clube é para o ano que vem.

– Eu já falei algumas vezes que o projeto do Cruzeiro é para o ano que vem, porque neste ano ele tem que sair lá de baixo. Nós temos cinco ou seis equipes só abaixo de nós e temos que saber isso. Agora, se nós tivéssemos aqueles benditos seis pontos que entenderam que não precisava jogar e podia dá-los… As pessoas que fizeram isso estão vendo que não é assim, não é tão fácil como se imagina e nós estamos lá em baixo. O que estamos fazendo é para continuar o primeiro objetivo e vai ser continuado por mim e pelos atletas, eu não estou pensando no segundo objetivo, pois eu não estou livre do primeiro. Eu não vou brigar com o torcedor, eles podem alimentar qualquer situação, eu não. Vou alimentar que nós estamos há seis jogos aqui e empatamos três e ganhamos três. Imagina se nós tivéssemos perdido esses outros três jogo. Então, com todos esses pontos a gente ainda está em 15º, imagina se a gente tivesse perdido três jogos, estaríamos em 19º ou 20º, então temos que ter calma – disse Felipão.

O treinador do Cruzeiro também comentou que não espera novos reforços após o não acerto com Copete, do Santos.

– Não espero novos reforços. Depois daquela situação com o jogador do Santos, não espero não. Acho que nós não teremos ninguém mais, está ótimo, nós vamos trabalhar pelo primeiro objetivo, sabemos que temos dificuldades, então quem sabe em um próximo ano a gente monte alguma coisa diferente. Mas neste ano não, temos que trabalhar com esse grupo. Arthur Caíke entrou meio tempo, porque não conseguia aguentar mais, Marcelo Moreno jogou com boa vontade em todo o momento que esteve em campo, mas cansado porque viajou para Bolívia e depois para São Paulo para chegar aqui um dia antes do jogo. O Matheus Pereira está voltando, Henrique e Léo estão em transição no departamento médico e quando estiverem em condição vão nos ajudar também. Mas neste ano eu acredito que não vamos ter mais jogadores e estamos satisfeitos – afirmou o comandante.

O que deu errado?

Felipão comentou sobre a falta de poder criativo da equipe celeste nessa sexta, diante do Figueirense. Além disso, o técnico também ressaltou a falta de tempo necessário para efetuar o trabalho ideal.

– Em primeiro lugar nós temos que lembrar aquilo que treinamos, os posicionamentos, porque tomamos um gol em uma bola que era nossa de escanteio e posicionados erradamente de acordo com aquilo que trabalhamos e que definimos antes na palestra. No sentido de criação, tivemos poucos remates a gol e poucas oportunidades vivas. Criamos tão poucas chances que, no final, o empate foi um resultado normal. Nós vamos trabalhando todo dia, amanhã na apresentação vamos passar o vídeo das situações que nós podíamos ter feito algo melhor, vamos conversar com eles (jogadores) e vamos ver o que a gente vai conseguir em termos de trabalho, porque o jogo com a Chapecoense é daqui há três dias. Não adianta nós ficarmos buscando apenas um erro, mas sim tentar solucionar esses defeitos para que possamos brigar pelo primeiro objetivo, que nós já sabemos qual é.

Centroavantes

Quanto à seca de gols dos centroavantes do Cruzeiro, Felipão enxerga o problema exatamente na criatividade do resto da equipe, principalmente de seus jogadores de meio de campo.

– Nós temos que ver o biotipo e a forma que os jogadores jogam em suas características. Podemos ver que jogadores como Thiago e Marcelo Moreno tem um forte biotipo, são jogadores mais de área e não de trabalho de bola, mas sim de finalização. Nós estamos sempre fazendo um gol por jogo, não é sempre que o centroavante tem que fazê-lo, ele tem que trabalhar para a equipe para que outros também possam marca e quando chegar a oportunidade dele fazer o gol, que o faça.

O Cruzeiro ocupa a 15ª colocação na tabela da Série B do Campeonato Brasileiro, com 25 pontos. A equipe comandada por Felipão volta a campo na próxima terça-feira (24), às 21h30, na Arena Condá, em jogo válido pela 24ª rodada da Segunda Divisão.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

As últimas

To Top