Campeonato Carioca

FERJ confirma início da Segundona do Carioca para 15 de agosto; jogos não terão torcida

A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro reuniu, nesta quarta-feira (22), representantes dos 16 clubes credenciados para a disputa da Série B1 do Campeonato Carioca, a segunda divisão do Estadual, para definir as diretrizes para o torneio. A principal decisão ficou por conta da confirmação da data de início, que ficou para 15 de agosto.

O diretor de competições da FERJ, Marcelo Vianna, deu uma rápida declaração após a primeira reunião pensando na retomada do calendário. Ainda sem data marcada, haverá um novo encontro para definir mais concretamente o protocolo a ser seguido pelos clubes. “Esclarecemos algumas dúvidas e garantimos a eles a realização da competição no atual formato”, disse Vianna.

O Estatuto do Torcedor, em seu artigo 9º, exige que a tabela de um campeonato seja publicada até 60 dias antes do início. Sendo 15 de agosto, a tabela obrigatoriamente deve ser divulgada em 15 de junho. Isto gera a necessidade de celeridade para as próximas reuniões.

Antes da paralisação do futebol por conta da pandemia do COVID-19, o Campeonato Carioca da Série B1 começaria em maio e iria até setembro. A Série A foi paralisada na quarta rodada da Taça Rio, o segundo turno, e ainda não tem previsão de retorno.

Torneio terá portões fechados e possibilidade da redução de subsídios pela Federação

Na reunião, ficou decidido que a Segundona começará sem a presença de público nas partidas, ainda como medida de prevenção e proteção ao coronavírus. Posteriormente, o protocolo pode ser revogado, mas já com o torneio em andamento.

Uma outra medida discutida, mas ainda não confirmada, é a redução do subsídio da FFERJ no pagamento dos custos das partidas, o popular “borderô”, neste caso para diminuir os gastos por parte da Federação, mas jogando a responsabilidade para os clubes.

Isto ainda será discutido e definido nas próximas reuniões de preparação para a B1, visto que os gastos dos clubes aumentariam consideravelmente. Em média, os mandantes desembolsaram cerca de R$ 700 por cada partida nas últimas três temporadas. Sem o subsídio da FFERJ, o gasto iria para R$ 5 mil.

Formato atual da B1 visa transição para nova “Série A2”, em 2021

Com 17 clubes, a Série B1 de 2020 vive um período de transição, visando a próxima temporada. Além de Bonsucesso, Goytacaz, Sampaio Corrêa, Audax, Artsul, Duque de Caxias, Olaria, São Gonçalo, Nova Cidade, Serra Macaense, Serrano, Gonalense, Campos, Angra dos Reis, Rio São Paulo e Maricá, a equipe rebaixada da atual edição da Série A disputa a Segundona ainda este ano. No momento, America, Nova Iguaçu e Americano brigam para não cair.

O atual campeão da B1 é o Friburguense. Para este ano, com as equipes divididas em dois grupos, definidos por sorteio, o campeonato terá dois turnos: Taça Santos Dumont e Taça Corcovado, além de dois turnos decisivos, semifinal e final. Na Santos Dumont, jogos dentro do grupo, em turno único. Na Corcovado, grupo enfrenta grupo, também em turno único.

O campeão será definido após semifinal e final geral, disputadas com os campeões de turnos e as duas melhores equipes na classificação geral, excetuando os campeões de turno. Estas duas últimas fases serão em sistema de ida e volta.

Em 2021, a Série A2 será a nova Segundona, e contará com 12 equipes: as cinco piores equipes da Seletiva de 2021, uma equipe rebaixada da Série A de 2021, além das seis melhores equipes da Série B1 da atual temporada, que não tenham subido para a Seletiva da Série A.

As equipes que ficarem entre a 9º e 15º colocações disputarão a Série B1 em 2021, que se tornará a terceira divisão do futebol carioca, e terá 12 times disputando. As duas últimas (16ª e 17ª) serão rebaixadas para a Série B2 em 2021.

Foto: Urbano Erbiste/Agência FERJ

*Atualizado às 22h19

Clique para comentar

Deixe uma resposta

As últimas

Ao topo