Fluminense

Fluminense: Odair e Marcão, com elenco de moleques e vovôs, fazem história pelo clube que tem melhor fase em anos

Fluminense: Odair e Marcão se abraçando
Foto: Lucas Merçon/FFC

Terminando o Campeonato Brasileiro em quinto lugar e classificado para a Pré-Libertadores, ainda com chance de entrar para a fase de grupos, o Fluminense faz sua melhor campanha desde a era Pós-Unimed, ultrapassando os 60 pontos. O trabalho de Odair Hellmann e de Marcão alcançou a pontuação 64 e foi a melhor desde o título de 2012.

O clube igualou a marca de 2014 em gols sofridos. A rede do goleiro do Flu foi balançada 42 vezes e desde esse período é a primeira vez que o Tricolor sofreu menos do que marcou. Em 2020 foram 77 gols do clube, com ainda 53 partidas jogadas na temporada.

Durante quatro rodadas seguidas, o Time das Laranjeiras não foi vazado. Isso só aconteceu também com o Athlético-PR, Palmeiras e Corinthians em 2020. O Fluminense também alcançou a marca de 452 minutos sem sofrer gol, outro recorde.

Para acontecer toda essa boa fase, os zagueiros foram essenciais para a defesa do time. E também marcaram! Somando os gols de Matheus Ferraz, Digão, Luccas Claro e Nino, foram oito. Um, dois, dois e três, respectivamente.

Esse também foi o Campeonato Brasileiro em que mais jogadores da base foram revelados. Xérem, uma máquina de craques, colocou em campo 19 atletas, sendo nove estreantes no time profissional. Destacados entre os veteranos, os moleques ganharam visibilidade e força para continuar jogando.

Atuações ENM: Fred marca o primeiro, Nenê dá duas assistências e consagra vitória por 2 a 0 do Fluminense no Maracanã; confira as notas

O Clube das Laranjeiras também venceu algumas equipes depois de muito tempo. Vitória sobre o Athlético-PR na Arena da Baixada não acontecia desde 2015. O Bahia também foi derrotado pelo Flu na Fonte Nova e tinha um jejum desde 2013. No Castelão, contra o Ceará, o Time de Guerreiros não vencia desde 2005.

O lateral-esquerdo Egídio também teve sua melhor fase de garçom. O jogador serviu sete vezes. A melhor marca de um atleta tricolor desde Gustavo Scarpa em 2017.

A volta de Fred também deu um gás ao clube. O ídolo voltou, o número de sócios cresceu e convidou a torcida a relembrar aos títulos de 2010 e 2012. Mesmo com 37 anos, Frederico tem sido importantíssimo em campo, tem fome de jogar, completa o time na parte tática e no amor da torcida também. Afinal, o Fred vai te pegar.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top