Fortaleza

Fortaleza cai diante do Cresspom nos pênaltis e dá adeus ao Feminino A2

Foto: Thais Pontes/Fortaleza EC

Na tarde deste domingo (04), no estádio do Domingão, as meninas do Fortaleza receberam a equipe do Cresspom. O confronto, válido pelo jogo de volta das oitavas de final do Campeonato Brasileiro Feminino Série A2 2021, terminou com empate em 1×1 no tempo normal e foi para os pênaltis. Nas penalidades, vitória do time brasiliense pelo placar de 3×1. Com o resultado, as leoas estão eliminadas da competição nacional e não poderão conquistar o acesso à primeira divisão.

+ LEIA MAIS | Opinião: Gustavo Coutinho merece chances no time principal do Fortaleza

Com um empate sem gols no primeiro duelo, Fortaleza e Cresspom vieram sem nenhuma vantagem para o confronto. Mesmo começando melhor, foram as visitantes que abriram o placar. Aos 40 minutos, Larissa fez o gol que, no momento, classificava o time do Distrito Federal para as quartas de final. No entanto, aos 50 da mesma etapa, foram as leoas que balançaram as redes, pois Kaila mandou para o gol e deixou tudo igual no duelo.

+ Para ficar por dentro de tudo que acontece no Fortaleza, siga o Esporte News Mundo no Twitter, no Facebook e no Instagram.

Já na segunda etapa, o Cresspom voltou melhor que a equipe do Fortaleza e teve as rédeas ofensivas da partida. No entanto, mesmo com uma série de boas chances, as brasilienses não conseguiram balançar as redes das cearenses (e vice-versa), mandando o duelo e a vaga nas quartas de final do Brasileirão Feminino A2 para as penalidades máximas.

Nas cobranças de pênaltis, melhor para o Cresspom. A disputa começou com Miriam defendendo a primeira cobrança das visitantes. Alessandra, porém, também defendeu o chute de Kaila, autora do gol do Fortaleza. Por fim, Bárbara converteu o último pênalti e, com um placar de 3×1, garantiu o time de Brasília nas quartas de final. O Cresspom enfrenta, agora, a equipe do Ceará, encerrando as chances de termos um Clássico-Rei valendo vaga na elite do futebol feminino nacional.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top